segunda-feira, 8 de abril de 2019

Governo de Minas Gerais anuncia fechamento da Rádio Inconfidência AM


Após 83 anos de atividades, a Rádio Inconfidência AM 880 KHz de Belo Horizonte, uma das mais antigas emissoras de rádio do país, vai encerrar as suas transmissões daqui a 30 dias na frequência AM. A informação foi confirmada pelo secretário estadual da Cultura do governo de Minas Gerais - proprietária da emissora - Marcelo Matte na noite da última quinta-feira, em cerimônia dos novos dirigentes do setor no Palácio das Artes e deixou os servidores do órgão em estado de apreensão com as possíveis demissões.

“Num prazo adequado, com planejamento, cuidado, preservando conteúdos relevantes, terá de ser extinta como todas as grandes redes de rádio já fizeram. Abandonaram a faixa AM porque isso é uma imposição legal”, disse Matte ao ser questionado sobre o possível fim da Inconfidência AM.

O caso foi assunto de duas reuniões na última sexta-feira, segundo o Sindicato dos Jornalistas, que alega que o governo pretende demitir concursados ilegalmente. As demissões chegariam a um terço do quadro. 

De acordo com funcionários da Rádio Inconfidência, que preferiram não se identificar para evitar retaliações, o temor é porque a maior parte dos concursados está lotada na emissora AM. A transferência foi ocorrendo em gestões passadas e teria sido feita para dar espaço para a contratação de comissionados na FM. Há ainda o temor de que isso seja o início de um desmonte da emissora pública. 

 “O clima é de tristeza e muita revolta, porque nós fizemos concurso dentro do que a lei exige e nossos salários estão abaixo do mercado. Os comissionados, não só da rádio, mas de todo o estado, são muito melhor remunerados e não faz sentido querer fazer economia com quem já não representa tanto custo assim”, disse um servidor.

A Inconfidência AM é a rádio mais antiga de Minas, tem 82 anos e o sinal da emissora chega a todos os municípios mineiros. Ficou conhecida como "Gigante no ar". 

No evento, o vice-governador Paulo Brant disse que todos os equipamentos culturais do estado serão mantidos, mas “transformados e melhorados”. 

O governo de Minas foi questionado sobre as possíveis demissões na Inconfidência mas ainda não se manifestou sobre o assunto. (Com informações dos portais O Tempo e EM)

************************************

Não sou vidente, mas alguma coisa me diz que a Inconfidência AM não será fechada. Creio que vá migrar para a faixa de FM, como já está acontecendo com algumas emissoras pequenas do interior do país. O problema é que, nos grandes centros, essa migração está demorando demais. É sabido que os governos anteriores garantiram que todas as emissoras AM passarão a transmitir em FM porque é mais barato, a operação é bem mais simples, ainda mais com o auxílio da internet, o alcance é muito maior. Além do mais, se quisessem mesmo ter fechado, já o teriam feito, não ficariam "ameaçando". Talvez estejam esperando que a sociedade mineira e os ouvintes de rádio daquele estado protestem contra tal absurdo. Típico balão de ensaio. Se o povo chiar, a gente volta atrás. Se ninguém der falta da rádio.......é aguardar para ver.


quarta-feira, 27 de março de 2019

Rafael Henzel, jornalista que sobreviveu ao acidente da Chapecoense, morre vítima de infarto aos 45 anos


Sobrevivente da queda do avião da Chapecoense na Colômbia, em 2016, que deixou 71 mortos, o jornalista Rafael Henzel, de 45 anos, morreu hoje (26) à noite de infarto.

O jornalista jogava futebol na cidade de Chapecó, no oeste catarinense, quando foi levado ao hospital regional, ainda com sinais vitais, mas não resistiu.

A informação foi confirmada pela Associação Chapecoense de Futebol na sua conta nas redes sociais. O jornalista de 45 anos trabalhava atualmente na rádio Oeste Capital e, um ano após sobreviver à tragédia, tinha voltado normalmente à rotina dos jogos.

Na Rádio Oeste Capital, o jornalista Marcinho San comunicou o falecimento de Henzel em mensagem aos ouvintes: "Nosso colega Rafael Henzel veio a falecer na noite desta terça-feira [26]. Ele jogava futebol com amigos e sofreu um infarto fulminante. Foi conduzido ao Hospital Regional de Chapecó, onde foi confirmado o falecimento do colega jornalista, narrador, Rafael Henzel".

Em nota, o Hospital Regional do Oeste, em Chapecó, informou com pesar que Henzel morreu às 21h10. Ele chegou na unidade em parada cardiorrespiratória, "vítima de um mal súbito durante jogo de futebol com amigos e colegas de imprensa de Chapecó". Também diz que todas as medidas de reanimação possíveis foram adotadas, sem sucesso.

Em 2017, Rafael Henzel lançou o livro "Viva Como se Estivesse de Partida". Na obra, fala sobre o incidente e a mensagem de importância à vida. (Com informações da Agência Brasil e do portal G1)


domingo, 17 de março de 2019

Elis Regina será destaque da próxima edição do programa 'Sala de Música', da CBN

A cantora Elis Regina, em foto de 1968 (Foto: Arquivo / EBC)

Apresentado pelo produtor musical João Marcello Bôscoli, o próximo programa "Sala de Música", da Rede CBN, destacará a vida e obra de Elis Regina, falecida em 1982. Na atração serão destacadas histórias inéditas da cantora, que também era mãe de Bôscoli, além de trazer fotos, versões de músicas em voz e violão e vídeos jamais vistos.

Se estivesse viva, Elis completaria neste mês de março 74 anos de idade. A artista gaúcha era considerada por muitos críticos a melhor cantora da música popular, até hoje. A edição especial do Sala de Música será transmitida ao vivo com o apresentador revirando histórias do baú da família e promovendo interação com o público. Será uma verdadeira viagem no tempo: nostálgica, rica de conhecimento da cultura brasileira e repleta de emoções, garante o produtor da atração. 

O programa será transmitido ao vivo do Teatro Unibes Cultural no dia 20 de março, das 20h30 às 22h. Os ingressos já estão disponíveis pelo valor de R$ 60,00, com opção de meia-entrada.

Sobre o Sala de Música - O programa já consagrado no rádio brasileiro é transmitido pela rádio CBN de segunda a sexta-feira, às 16h30, durante a exibição do Estúdio CBN. Criado pelo jornalista, radialista e dublador João Carlos Santana na própria emissora, em 2005, atualmente ele é apresentado pelo palestrante e produtor musical João Marcello Bôscoli -  com duas décadas de experiência no universo musical - o programa apresenta novidades da música, programação de shows e bastidores da área, além de receber artistas renomados e novos talentos para uma conversa descontraída.     

Saiba mais em www.cbn.com.br

Serviço:
Sala de Música Especial – Elis Regina
Quando: 20 de março, das 20h30 às 22h
Onde: Teatro Unibes Cultural
Rua Oscar Freire, 2.500, Sumaré, São Paulo, SP (ao lado da estação Sumaré do metrô)
Ingresso: R$ 60,00, com opção de meia-entrada a R$30,00 reais.
Vendas: https://www.sympla.com.br/

sábado, 2 de março de 2019

Nossa Rádio contrata produtor executivo para a sua emissora de FM


A Nossa Rádio FM 106,9 MHz, emissora evangélica localizada na região central de São Paulo, abre vaga temporária para Produtor Executivo.

Vaga Temporária: Produtor Executivo - Rádio
Cidade: São Paulo

Este profissional será responsável pela produção de programas religiosos, elaborando roteiros e acompanhando a gravação de pastores, além da produção de programas de música gospel. A vaga é temporária para dois meses e o salário mensal é de R$ 1.652,00. A carga horária é de 6 horas, de segunda à sábado, das 11 às 17 horas.

Se você tem habilidade para produzir conteúdo religioso e se interessou pela vaga, queira, por gentileza, enviar o seu currículo exclusivamente por e-mail com o título VAGA PRODUTOR EXECUTIVO para o endereço danielvidal@nossaradiofm.com.br.

Prazo de envio do currículo: 6 de março de 2019, às 12h
Até breve e obrigado.

Daniel Vidal
Nossa Rádio FM

Atenção, ouvinte: o verbo Seguir 'segue sendo' usado de forma inadequada! Fique de ouvidos bem atentos!


"A rodovia Anhanguera 'segue sendo' o pior caminho para o interior do estado....." ; "E a nossa reportagem 'segue de olho' nas estradas." Não vou falar o santo que criou essa pérola, ainda que tenha sido de forma improvisada, nem onde ela foi proferida que é para não estimular as novas gerações de redatores e, pretensamente, de leitores. Porém, se algum dia os meus pobres ouvidos ficarem realmente irritados, vou começar a "dar nome aos bois".

O fato é que esse modismo de transformar um verbo transitivo direto em verbo de ligação - que, em outras palavras,  indica "estado" do sujeito - já deu o que tinha de dar. Deve ser o novo substituto do "gerundismo de call center" ou o famigerado "a nível de..." , usados em um perverso método de empobrecer nosso idioma que alguns usam por simplesmente não dominá-lo de forma minimamente adequada. 

Felizmente, faço aquela ressalva necessária, lembrando que não são todos os radialistas que cometem esse desatino. Há muitos profissionais que usam o referido verbo de forma adequada. Quero crer que os imprudentes cometem esses erros porque não cultuam o saudável hábito da leitura. Logo, quem não sabe ler não sabe escrever, correto?

Não faltará um dia em que alguma respeitada emissora de rádio anunciará: "Justiça nega habeas corpus para condenado em segunda instância e ele segue preso na penitenciária estadual". O que o fato do apenado não ter saído da prisão tem a ver com o fato de ele estar correndo atrás provavelmente de um companheiro de cela? Alguém me desenhe essa frase porque juro que não entendi.

Para dirimir quaisquer dúvidas, vou transcrever, com a licença do caro leitor, o que se encontra na internet sobre a questão acima.

+++
Seguir e continuar, frequentemente, representam os muitos desvios cometidos pelos usuários, em que tal ocorrência se manifesta pela troca de uma forma pela outra, simplesmente pelo fato de serem concebidas como palavras sinônimas.

Nesse sentido, torna-se relevante salientar que, em se tratando de alguns contextos, esta concepção é tida como adequada, contudo, em outros ela não procede – motivo esse de tantas confusões. E para que nossa discussão se torne ainda mais ampliada, verificaremos alguns dos muitos sentidos que podemos atribuir ao verbo “seguir”, ora manifestados por:

Muitas vezes temos a intenção de seguir os passos de alguém (sentido de andar no mesmo ritmo dessa pessoa); seguimos, por que não, um exemplo (sentido de imitar o modelo de algo, de uma ação); podemos também seguir uma dada religião (aderir-nos a ela); seguimos, pois, as regras do jogo (no sentido de não infringi-las); alguém pode seguir uma determinada carreira (sentido de ingressar numa dada profissão); e assim seguimos com a ideia em questão.

Quando falamos sobre a sinonímia, a qual pode ser atribuída a ambas as formas verbais, pensamos no último exemplo, representado por “seguimos com a ideia em questão”. O que é possível constatar é que o verbo “continuar” também se encaixa na noção desenvolvida pelo enunciado, ou seja, podemos perfeitamente substituir o verbo “seguir” pelo verbo “continuar”, isto é, “continuamos com a ideia em questão”.

O que na verdade não se discute é o emprego errôneo do verbo “seguir” na condição de um verbo de ligação e, consequentemente, seguido de um predicativo do sujeito, como em:

A reunião segue tranquila. (quando na verdade o conveniente seria “continua” tranquila).

Neste caso, temos um sujeito – a reunião;

Bem como:

Um predicado – continua tranquila, uma vez que “tranquila” se refere ao predicativo do sujeito.

O porquê de não utilizarmos o verbo “seguir” nesse caso é simples, haja vista que o predicativo “tranquila” contrasta com a ideia de “seguir”, pois este dá uma ideia de ação, tal qual expressa nos diversos sentidos acima citados.

Portanto, não se esqueça! Tais formas somente são permutáveis quando a ideia retratada for de “dar seguimento, continuidade”:

Após o jantar, seguiremos (continuaremos) aquela nossa conversa. 

(Fonte: www.portugues.com.br)



segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Jornalista Roberto Avallone morre aos 72 anos em SP


O jornalista Roberto Avallone, de 72 anos, morreu na manhã desta segunda-feira (25), informou o Hospital Santa Catarina, em São Paulo. Ele foi vítima de parada cardiorrespiratória.

Avallone passou mal em casa e foi levado pelos bombeiros ao centro médico na Avenida Paulista. A morte foi constatada por volta das 9h. Informação sobre o local do velório ainda não foi divulgada.

Um dos nomes mais conhecidos do jornalismo esportivo, Avallone começou a carreira na década de 1960 no jornal Última Hora. Trabalhou no Jornal da Tarde, onde ficou por mais de 23 anos, e participou de coberturas marcantes, como as Copas do Mundo de 1978, na Argentina, e de 1986, no México.

Em rádio, fez parte das maiores emissoras, entre elas Eldorado, Jovem Pan, Rádio Globo, Rádio Bandeirantes e Rádio Capital.

Na TV Gazeta de São Paulo, foi diretor de esportes da emissora e destacou-se no programa Mesa Redonda. A maneira como usava a pontuação nas frases virou sua marca registrada: quando perguntava algo para os colegas de bancada, terminava a frase dizendo “interrogação”. Mesma lógica usava para elogiar: “Que golaço, exclamação”.

Ficou na rede televisiva até 2003, quando foi para a RedeTV!, e, depois, para a TV Bandeirantes. Depois, foi para o SporTV.

Em 2012, ganhou um blog no UOL, que alimentou até este fim de semana. Sua última postagem foi na madrugada de domingo: uma análise sobre a situação do Santos e do Palmeiras após empate em zero a zero no jogo pelo campeonato paulista. (Do Portal G1)

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

Ótima estreia de Cláudio Humberto no 'Jornal Gente' pode revelar a nova estratégia no jornalismo do Grupo Band Rádios

O jornalista Cláudio Humberto estreia no "Jornal Gente": reforço de peso para a programação matinal da Rádio Bandeirantes (Foto: Divulgação/Band Rádios)

Ainda sob o impacto da morte de Ricardo Boechat em um acidente aéreo na segunda feira passada, a Bandeirantes promoveu discretas e promissoras mudanças na programação de suas rádios jornalísticas em São Paulo. Enquanto que Salomão Ésper reduziu a sua participação na grade a um comentário de pouco mais de 10 minutos no vespertino "Rádio Livre", a Band News FM escalou Eduardo Oinegue para comandar o "novo" no meio do dia, na Rede Band News FM.

Mas a mudança mais significativa foi a entrada do jornalista alagoano radicado há mais de três décadas em Brasília, Cláudio Humberto Rosa e Silva, no "Jornal Gente", programa de maior audiência da Rádio Bandeirantes, ao lado de sexagenário "Primeira Hora" e do quase cinquentenário "O Pulo do Gato". Titular do programa "Bastidores do Poder", Cláudio Humberto, como se diz no jargão jornalístico, "é uma das melhores penas da imprensa atual".

Seus comentários certeiros e precisos, advindos por seus anos a fio cobrindo "os bastidores do poder" em Brasília "in loco", vem agradando a audiência da emissora líder do grupo Band Rádios há três temporadas, bem como a da Band News FM de Brasília, no horário das 9h às 11h, em que ele trata de assuntos locais. Ele tem tudo para agradar os novos ouvintes do "Gente". Ainda mais que ele deve repetir a dobradinha com o veterano José Paulo de Andrade, que fez muito sucesso na primeira temporada de "Os Bastidores do Poder". Na ocasião, a dupla não só recuperou os índices de audiência do fim de tarde da emissora - que chegou a perder grande contingente de ouvintes depois que a arquirrival Jovem Pan criou o programa "Os Pingos nos Is" nesse mesmo horário - como revitalizou a grade jornalística da Band como um todo.

E para marcar a sua estreia e essa "nova virada" na programação jornalística da Band Rádios, Cláudio Humberto entrevistou o vice-presidente Hamilton Mourão, direto de Brasília.

Nova estratégia para o jornalismo - Mas não pense que foi uma simples promoção para um colunista tão talentoso e competente. Na verdade, trata-se de uma estratégia para amenizar a perda recente de Boechat, na Band News FM que, ao que tudo indica terá seu horário coberto por Eduardo Barão, ao lado da equipe que já acompanhava o falecido jornalista.

A seu modo, o carismático Boechat tirava bons nacos de audiência da Jovem Pan e, sobretudo, da CBN. A estratégia agora, ao que me parece, é aproveitar a pequena - porém bem montada - rede da Band News FM para incrementar a reportagem (sobretudo em São Paulo em que ela depende da hoje minúscula equipe da Rádio Bandeirantes). Dessa forma ela competiria de igual para igual com a CBN, cuja o grande "trunfo" ainda é a reportagem nas ruas em todo o país, e talvez deixe o jornalismo mais "analítico" e apoiado em comentários e análises para a Rádio Bandeirantes. Pode ser por isso que eles não estejam tão afoitos em conseguir um substituto para Ricardo Boechat (será que precisa mesmo?)

O lado ruim dessa história toda é que o ouvinte de São Paulo e, por extensão, de todo o Brasil, ainda de optar todas as manhã entre Jovem Pan e Bandeirantes ou CBN e Band News FM. E se não gostar de nenhuma das quatro opções, tem a opção de bom conteúdo na microscópica programação jornalística da Eldorado FM.

O lado bom dessa história toda é que o ouvinte de São Paulo e, por extensão, de todo o Brasil, ainda de optar todas as manhã entre Jovem Pan e Bandeirantes ou CBN e Band News FM. E se não gostar de nenhuma das quatro opções, tem a opção de bom conteúdo na microscópica programação jornalística da Eldorado FM. Que belo dilema, não é mesmo?

Ouça como foi a estreia de Cláudio Humberto no Jornal Gente da Rádio Bandeirantes - https://goo.gl/dfVJ2M

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

Peça "Trair a Coçar é Só Começar" bate recorde de permanência nos palcos e completa 33 anos em cartaz

No próximo dia 26 de março, o espetáculo "Trair e Coçar É Só Começar", de Marcos Caruso, completará 33 anos ininterruptos em cartaz. Recordista absoluto no Brasil, a peça acumulou até agora um total de cerca de seis milhões de espectadores em quase nove mil apresentações, desde sua estreia em 1986, no Rio de Janeiro. A peça virou filme, e série do Canal Multishow, além de ter sido aclamada como ponto turístico pela Veja São Paulo, em março de 2010.


Tendo como personagem principal a empregada Olímpia, a peça está em cartaz em São Paulo, desde agosto de 1989, de onde sai somente para fazer turnês pelo país. Apenas três estados do Brasil (Acre, Amapá e Rondônia) ainda não assistiram à montagem. Em 31 anos, quase 100 atores passaram pela peça, entre eles, Suely Franco, Denise Fraga, Adriano Reis, Rômulo Arantes, José Augusto Branco, Ana Rosa, Alexandre Reinecke, Imara Reis, Roberto Arduin, Roberto Pirillo, Bruna Gasgon, Clarisse Abujamra, Mário Cardoso e Annamaria Dias. No elenco atual, a famosa personagem criada por Marcos Caruso é interpretada por Anastácia Custódio. Completa o elenco de nove atores: Carlos Mariano, Mario Pretini, Tãnia Catello, Carla Pagani, Miguel Bretas, Ricardo Ciciliano, Siomara Schröder e Ernando Tiago.  A direção  original e concepção é de Attílio Riccó e o atual diretor é José Scavazini.

A peça - A inspiração assumida de Marcos Caruso ao escrever Trair e Coçar É Só Começar foi o gênero vaudeville – a comédia ligeira baseada na intriga e no equívoco. Toda a trama se fundamenta em supostas infidelidades.

História - Marcos Caruso tinha 27 anos quando escreveu a peça em 1979. Depois de ficar seis anos na gaveta estreou em 1986 e, desde então, escreveu uma das mais impressionantes histórias do teatro brasileiro.

O sucesso garantiu a presença da peça no Guinness Book nas edições de 1994, 1995, 1996 e 1997 como a mais longa temporada ininterrupta em cartaz do teatro nacional. O espetáculo também ganhou o Prêmio Quality Cultural de 2005, e se apresentou no Teatro Colony, de Miami (EUA). Para homenagear esta trajetória sem precedentes, o jornalista João Nunes foi convidado para escrever o livro “Vinte e Cinco anos + Um – A História de Sucesso de Trair e Coçar é só Começar” (Editora Giostri). A obra reúne relatos do autor, dos diversos elencos, de diretores, de administradores e de produtores sobre inúmeras histórias que envolvem as quase três décadas da peça, desde as dificuldades encontradas por Caruso para conseguir montá-la e estreá-la no Rio de Janeiro até episódios curiosos dos bastidores. O livro foi apresentado na 22ª Bienal de SP em 19 de agosto de 2012.

Marilú Bueno foi a primeira atriz a interpretar Olímpia. Depois, entre outras, vieram Suely Franco, Denise Fraga, Vic Militello, e Iara Jamra, num total de 13 atrizes – sem contar Adriana Esteves que a interpretou no cinema, no filme dirigido por Moacyr Góes.

Quem é a BR Produtora - A realização de "Trair e Coçar É Só Começar" é da BR Produtora, que está no mercado desde 1984.

Ficha Técnica
Autor: Marcos Caruso
Direção original e concepção: Attílio Riccó
Direção: José Scavazini
Produtores: Radamés Bruno e Viviane Procópio
Elenco: Anastácia Custódio, Carlos Mariano, Mario Pretini, Tânia Castello, Carla Pagani, Miguel Bretas, Ricardo Ciciliano, Siomara Schröder e Ernando Tiago.

Serviço:
Teatro Bibi Ferreira
Sexta e Sábado, às 21h
Domingo: às 20h
Informações: (11) 3105-3129
Vendas: www.ingressorapido.com.br
Sexta e domingo: R$ 70,00/R$ 35,00
Sábado: R$80,00/R$40,00
Curta Temporada

Casa das Caldeiras abre inscrições para residência artística em 2019

A Casa das Caldeiras - um dos primeiros espaços autônomos a lançar um programa de residência artística no Brasil - está com inscrições abertas para selecionar artistas e pessoas interessadas ema presentar projetos na área de Arte e Patrimônio.

Entrada da Casa das Caldeiras, na zona oeste de São Paulo. (Foto:Nego Júnior / Divulgação)

A Associação Cultural Casa das Caldeiras recebe até 12 de março, as inscrições dos candidatos interessados em ingressar no Programa “Obras em Construção 2019” que será realizado de 9 de abril até 1 de Novembro de 2019. Para se inscrever, os interessados devem acessar o portal da Casa das Caldeiras:

Podem se inscrever artistas, grupos, coletivos e pesquisadores portadores de projeto, vivendo e trabalhando no Brasil ou no exterior. Os selecionados vivendo fora da cidade de São Paulo poderão contar com hospedagem, alimentação e transporte local, oferecidos pelo programa.

O projeto consiste em abrir espaços de residências artísticas propondo acompanhamento logístico, administrativo e de estruturação do projeto, incentivando a troca de conhecimentos, métodos e impressões entre os artistas residentes. O objetivo é dar condições para que os participantes possam desenvolver seus projetos bem como o seu processo de criação, se relacionando com o patrimônio, com o território, com os demais residentes e experimentando ações com o público frequentador da Casa das Caldeiras.

Acesse - http://casadascaldeiras.com.br/blog/artigo/obras-em-construcao-2019

Mais informações em: http://www.facebook.com/casadascaldeiras

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Cantora paraense Anny Petti lança o 'hit' 'Parará', um pop dançante com letra fácil de ser decorada


'Parará' é o tipo de clipe para você assistir, cantar e dançar muito acompanhando a coreografia da cantora que interage o tempo todo com os dançarinos no clipe. Com uma letra fácil de ser decorada e um ritmo latino, Anny Petti mostra toda a sua essência pop, somada ao toque do 'Reggaeton' deixando o clipe dançante, alegre e com uma dinâmica que contagia. O clipe conta com a direção e fotografia de Mess Santos, um dos mais renomados diretores, que já assinou clipes de grandes nomes da música como Claudia Leite, Anitta, Wesley Safadão, Maiara e Maraisa entre outros. 

O clipe foi gravado em São Paulo, com tomadas em pontos 'turísticos' da cidade como a av. Paulista e o Viaduto do Chá e mostra que todos independente de idade, cor, raça, podem dançar o "Parará". Detalhe para o figurino utilizado no clipe, moderno e colorido, trazendo ainda mais alegria e força para a música. 

Anny Petti conquista a cada dia mais espaço na mídia nacional, assim como do público e críticos do segmento. Anny já lançou três singles “Boom”, “Mais Uma” e “Jogo Proibido”, todos com videoclipe e dois EPs, “First” e “Jogo Proibido”, que alavancaram sua carreira musical. Este é o quarto clipe da carreira.

Aos oito anos, junto com sua irmã, convenceram o pai a formar a dupla infantil, Isi & Livi, que durante quase dois anos fez sucesso e percorreram os principais programas de TV do momento como Xuxa, Angélica, Mara Maravilha, Jackeline, Raul Gil, Video Show, entre outros. 

Mas conciliar os compromissos da dupla mirim com a vida profissional fez com que o pais decidisse por interromper a carreira das meninas e assim o sonho de estar no meio musical precisou ser adiado por um tempo. A vida de Anny seguiu, com duas faculdades no currículo e experiências profissionais diversas. Nesse meio tempo a música não lhe sai da cabeça e nem dos planos para ser, num futuro próximo, seu único caminho. 


Até que Anny se encheu de coragem, juntou sua convicção com o incentivo que teve da família e decidiu abraçar de vez sua vocação: viver de música. Para começar a deixar sua marca no mercado da música, a multiartista lançou "First", seu primeiro EP, acompanhado de um super vídeoclipe do single "Mais Uma". Logo que veio o videoclipe foi lançado no YouTube, Anny não só chamou a atenção do público como também de uma grande gravadora e hoje faz parte do grupo de artistas da Universal Music do Brasil. 

Assim nasceu Anny Petti, a cantora e personagem que deu a vida ao sonho e transformou em realidade o que até então eram só planos. 

DJ Liu bate 3 milhões de visualizações com o clipe da música 'Nave Espacial' e comemora show no Lollapalooza



Considerado o prodígio e grande destaque da cena eletrônica atualmente, Liu acaba de bater a marca de 3 milhões de visualizações no videoclipe de ‘Nave Espacial’, sua atual música de trabalho. Outra conquista foi a confirmação do artista no 'line up' de um dos maiores festivais de música do mundo, o Lollapalooza, no qual subirá ao palco dia 6 de abril no Autódromo de Interlagos.

“Sempre sonhei em fazer um clipe e queria que o primeiro fosse especial. Me dediquei muito e dei meu sangue desde a produção da música com os vocais da incrível Samantha Machado até a concepção do vídeo. Só tenho a agradecer a todo mundo que assistiu, curtiu e a minha equipe que é fera.”, comenta Liu que recentemente teve a estreia do clipe na grade da MTV.

Para o Lollapalooza, o artista promete levar um set bem energético e efeitos que vão fazer o público vibrar. “Quando eu tinha 16 anos, meu irmão e eu vendemos doce para poder comprar o ingresso pro Lolla e foi uma experiência que revolucionou minha vida e me fez entender o que a música representava na minha vida.. Então hoje, 5 anos depois, ter a chance de pisar no palco onde grandes ídolos se apresentaram, é surreal. Vou preparar um show incrível pra vocês, espero todo mundo lá!”, finaliza Liu.

Vale ressaltar que Liu está em constante ascensão e vem conquistando o outro lado do mundo também ao participar de outros inúmeros festivais de renome internacional. Com a popularidade em alta no continente asiático, o DJ e produtor também foi convidado para participar de um reality show sobre DJs em Shangai (“Rave Now”, em tradução livre), sendo o único brasileiro a receber este tipo de convite até os dias de hoje.

O DJ brasileiro Liu no cenário do clipe "Nave Espacial": três milhões de visualizações no You Tube (Foto: Divulgação)

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

Depois de 40 anos, Salomão Esper deixa o 'Jornal Gente' e vai para a programação das tardes da Bandeirantes

Anunciada nesta sexta-feira, com certa "pompa e circunstância" por seu "discípulo" José Paulo de Andrade, a saída do veteraníssimo jornalista e apresentador Salomão Ésper do matutino "Jornal Gente", atração que ajudou a criar 40 anos atrás, juntamente com o saudoso Joelmir Betting e também Zé Paulo, seu companheiro de jornada desde então, para substituir "O Trabuco".

O antecessor do "Jornal Gente", era comandado havia 16 anos pelo comentarista político Vicente Leporaci, que havia falecido numa tarde de abril de 1978, poucas horas depois de apresentar aquela que seria a última edição do programa na Bandeirantes.

O então "Jornal da Bandeirantes Gente" fora criado à toque de caixa para substituir "O Trabuco" já na segunda-feira da semana seguinte, pelo trio citado acima e que acabou ficando no ar por mais de 35 anos de forma contígua. Trata-se, sem dúvida alguma, da "solução improvisada" mais bem sucedida da história das comunicações brasileiras.

O "Jornal Gente" continua sua trajetória com José Paulo de Andrade e os "novatos" Pedro Campos e Rafael Colombo, além das participações eventuais ou semanais de Luis Felipe Pondé, Delfim Neto, Eduardo Oinegue, Gesner de Oliveira, entre outros analistas.

Mas o bom e sábio Salomão não sairá da Bandeirantes, onde está desde 1954. Ele vai reforçar o time do "fim de tarde", dentro do programa "Rádio Livre", ao lado de Caetano Curi e Ricardo Capriotti, que ainda atua na equipe de esportes também.

Tal medida foi tomada, ao que parece, por conta da ascensão que a "arquirrival" Jovem Pan nos índices de audiência no horário, não só pelo "dial", como pelas redes sociais.
A Bandeirantes deu um mau passo quando cerca de dois anos atrás resolveu promover um verdadeiro desmanche em sua equipe, demitindo muitas pessoas da parte operacional, o que comprometeu a qualidade de sua programação, sobretudo no jornalismo. Nem todos os radialistas/jornalistas conseguiram se adaptar ao comando da parte técnica, tal qual acontece na Band News FM, cujo formato, "importado" da americana 1010WINS, da rede CBS, em Nova York, facilita a presença de "apresentadores/operadores".

Desde 2018, a Bandeirantes vem sem muito êxito se aventurar na era do "rádio com imagem", na qual a Jovem Pan tem alguns dos canais mais vistos tanto no You Tube quanto no Facebook. A emissora líder do Grupo Band Rádios citou alguns programas de TV exclusivamente para a web, mas ficou esquisito porque quem iria assisti-los se na rádio está passando geralmente um conteúdo muito mais interessante, não é mesmo?

Sem dúvida, o velho mestre dará sua cota de contribuição para a melhoria da situação da Bandeirantes vespertina. Só não entendi porque já não o colocam ao lado de Cláudio Humberto e, quem sabe também de Claudio Zaidan, nos "Bastidores do Poder", programa que vem logo a seguir o "Rádio Livre". Quando começou, aquele jornalístico contava com a presença do mesmo Cláudio Humberto em dupla com José Paulo de Andrade, que deu muito certo e que acabou por "alavancar" o horário, travando uma bela disputa com "Os Pingos Nos Is", à época apresentado por Reinaldo Azevedo (hoje na Band News FM), na emissora de Tutinha.

sábado, 19 de janeiro de 2019

Baterista Marcelo Yuka, fundador da banda O Rappa, morre aos 53 anos no Rio de Janeiro

O músico Marcelo Yuka, falecido na noite desta sexta-feira (18), no Rio de Janeiro. (Foto: Divulgação)

O músico e compositor Marcelo Yuka, um dos fundadores da banda O Rappa, morreu no fim da noite de sexta-feira (18), aos 53 anos, no Rio de Janeiro. A informação foi confirmada pelo Hospital Quinta D'or na madrugada deste sábado (19).

Yuka estava internado em estado grave com um quadro de infecção generalizada. O músico sofreu um acidente vascular-cerebral (AVC) no dia 2 de janeiro. No meio do ano passado, ele já havia tido outro AVC. Em 2000, Yuka ficou paraplégico ao ser atingido por nove tiros durante um assalto a uma mulher na Tijuca, na Zona Norte do Rio.

Nascido no Rio de Janeiro em 1965, Marcelo Fontes do Nascimento Viana de Santa Ana, o Marcelo Yuka, foi um dos fundadores da banda O Rappa. No grupo, era o baterista e principal compositor até sua saída, em 2001.




Com a banda, chegou ao sucesso com o segundo disco, “Rappa Mundi”, em 1996. Em 2000, foi atingido por tiros ao tentar impedir um assalto e ficou paraplégico.

Yuka escreveu letras sobre temas como violência urbana, racismo e desigualdades sociais. “Minha alma (a paz que eu não quero)”, “Me deixa” e “Todo camburão tem um pouco de navio negreiro”, por exemplo, foram escritas por ele.

Mesmo impossibilitado de tocar bateria, continuou na banda, lançando em 2001 o álbum “Instinto Coletivo”, gravado em show realizado antes do incidente. No mesmo ano, Yuka deixou O Rappa, e afirmou ter sido expulso pelos demais integrantes por não concordar com os rumos da banda.

Em 2004, fundou a banda F.ur.t.o (Frente Urbana de Trabalhos Organizados), parte de um projeto social que já existia na época de O Rappa.



Em 2017, lançou seu primeiro álbum solo, "Canções para depois do ódio", com uma sonoridade que mesclava batidas eletrônicas e ritmos afro, fruto da parceria com o produtor e DJ Apollo 9. Céu, Seu Jorge, Cibelle e Bukassa Kabengele participaram do disco. (Do Portal G1)

++++++

O Rapa ainda é uma das bandas mais importantes do pop nacional dos anos 1990/2000 e, de certa maneira, ajudou a criar a vasta cena da música alternativa no Brasil. 

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

Vítima de enfarte, cantor Marciano, da dupla com João Mineiro, morre aos 67 anos

Marciano, da dupla sertaneja com João Mineiro, morreu nesta sexta-feira, 18, vítima de enfarte em São Caetano, no ABC paulista, na Grande São Paulo. De acordo com informações da família, o cantor morreu dormindo em casa, por volta das 2h.

José Marciano começou a cantar com João Mineiro quando tinha apenas 16 anos. Nos anos 1970, a dupla se destacou no sertanejo. Músicas como Um fio de Cabelo e Ainda Ontem Chorei de Saudade marcaram época e fizeram parte do repertório da carreira do cantor.

O sucesso de João Mineiro e Marciano foi tão grande que eles apresentaram, na década de 1980, um programa matinal no SBT com o nome da dupla. Confira a abertura do programa na época. (Do Portal Estadão)



Cada vez que um artista morre, o mundo fica mais triste e chato, ainda mais nesses tempos "politicamente corretos". Que sua alma tenha ido para um lugar melhor do que esse.

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

Análise: O que se pode esperar com o anúncio da chegada da CNN ao Brasil?

Foto: Divulgação

Depois de tantos anos com notícias ruins no mercado de televisão, quem sabe esta talvez seja a primeira de uma série de boas novidades que teremos neste ano no campo das comunicações? A julgar que uma grande emissora como a CNN finalmente resolve apostar no mercado brasileiro com muito atraso, diga-se de passagem, é de se esperar que outros concorrentes de peso no exterior criem coragem também e, quem sabe, venham querer disputar o mercado da informação aqui.

Trata-se de uma aposta ousada - afinal a base de assinantes das operadoras de TV por assinatura vem diminuindo nos últimos cinco anos, graças à concorrência das novas plataformas digitais, serviços de "streaming" e até mesmo da televisão aberta, que acaba por replicar na TV fechada os seus ainda altos índices de audiência.

Entretanto, as novas formas de consumir informação - em computadores, notebooks, tablets, smartphones, tv conectadas na internet, etc - por meio de streaming, plataformas de vídeo, podcasts, webradios, postagens de textos e imagens nas redes sociais e os "bons e velhos" blogs, abrem um cem número de possibilidades para o telespectador/ouvinte/internauta se atualizar sobre os diversos assuntos por infinitas fontes de informação. Ganhará sua audiência o veículo que estiver mais bem estruturado, tratar a notícia com profissionalismo, precisão, profundidade e rapidez, que é necessário na imprensa nos dias de hoje. Veículos que estão aí no mercado há anos levam certa vantagem, mas há de se menosprezar a "pequena mídia", feita quase de forma "artesanal e caseira".

Em sua biografia, José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, ex-vice-presidente de operações da Rede Globo por quase três décadas, prevê que o futuro da televisão será cada vez mais a transmissão de eventos ao vivo, sobretudo os jornalísticos. A tendência, segundo ele, é mostrar o que está acontecendo naquele instante, em qualquer parte do mundo. Conteúdos como filmes, desenhos animados, séries televisivas, e outros que sejam pré-gravados, poderão ter menos espaço ou até mesmo migrar para outros tipos de veículos. Em um país-continente como o nosso, com tantas diferenças regionais profundas e até locais, é possível que esse prognóstico não se concretize por inteiro.

De qualquer maneira a demanda por conteúdo televisivo de um modo geral por parte do público brasileiro é enorme. Caso o país consiga retornar aos trilhos do desenvolvimento econômico, mais empresas de mídia poderão ser criadas ou virão também se instalar por aqui. É uma previsão um tanto quanto otimista, mas o surgimento de um canal brasileiro da CNN, ainda que por meio de "joint-venture", autoriza qualquer analista a pensar assim.

*****
Vice-presidente de jornalismo deixa a Record para criar a CNN Brasil


O setor de televisão por assinatura do país contará com mais um canal de notícias a partir do segundo semestre. Trata-se da CNN Brasil, que surge a partir do licenciamento feito pelo grupo liderado pelo empresário Rubens Menin e o jornalista Douglas Tavolaro. Com o novo desafio, Tavolaro se desligou do cargo de vice-presidente de jornalismo da Record TV nesta segunda-feira, 14.

Além de marcar presença no line up das principais operadoras de TV, a CNN Brasil promete ser ativa em ambiente online. “Canal de notícias multiplataforma” é a forma pela qual o projeto é definido por seus idealizadores. Para isso, a marca tende a seguir os passos da empresa responsável pelo licenciamento no âmbito nacional. A CNN norte-americana conta, por exemplo, com perfis em Facebook, YouTube, Twitter e Instagram — além de site oficial.

Com o acordo com a CNN International Commercial (CNNIC), a futura emissora hard news do Brasil contará com os conteúdos produzidos pelas mais diversas praças do conglomerado de mídia espalhadas pelo mundo. O acordo, no entanto, prevê a manutenção das operações da CNN International e a CNN en Español. Comunicado enviado à imprensa informa que as duas divisões não fazem parte do negócio selado para o mais novo negócio.

Movimentando o setor - A chegada da CNN Brasil deve movimentar o mercado da comunicação do país. Informações dão conta de que a empresa pensa em contar com ao menos 400 jornalistas em sua estreia. Apuração da reportagem do Portal Comunique-se indica que o processo seletivo será aberto ao decorrer das próximas semanas. Além de comunicadores, a lista de vagas contemplará profissionais de parte técnica e administrativo. A ideia principal é “recrutar e treinar jornalistas e equipes de produção”.

Sob comando de Rubens Menin e Douglas Tavolaro, a CNN Brasil visará a produção de conteúdo informativo. Vinte quatro horas por dia. Sete dias por semana. Para isso, o projeto terá redações em São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Fora o espaço na TV por assinatura e nas mídias digitais, a marca pretende ser reconhecida como agência de notícias. Além da estrutura, o projeto terá correspondentes internacionais em seus quadros de colaboradores. (Leia mais clicando aqui)

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Repórter Musical - Conheça o novo som da dupla Rick & Renner: 'Nosso Lance'

Nesta edição do Repórter Musical* apresenta Rick e Renner que é uma dupla sertaneja brasileira, formada pelos cantores e compositores mineiros Geraldo Antônio de Carvalho, o Rick e Ivair dos Reis Gonçalves, o Renner, no ano de 1986.


A dupla já lançou 3 DVDs, 18 CDs, realizaram mais de 15.000 apresentações e venderam mais de 11 milhões de discos. Em 25 anos de dupla se apresentaram para um público estimado em 225 milhões de pessoas, com uma média de 15 mil pessoas por show. Rick e Renner movimentaram mais de 300 milhões de reais com seus shows, assim, se consagrando como uma das maiores duplas da história da música sertaneja.

Ouça a sua mais nova música que está sendo lançada esta semana: "Nosso Lance".

*Gravado nos estúdios Let it Be, São Paulo - https://www.facebook.com/letitbeestudio/

domingo, 13 de janeiro de 2019

Versão para o cinema de 'Sai de Baixo' chega aos cinemas em fevereiro



O humor de “Sai de Baixo” está de volta e, desta vez, nos cinemas de todo o país. O trailer do filme já está nas redes sociais. Baseado em um dos seriados de maior sucesso da história da televisão brasileira o filme é dirigido por Cris D'Amato (“S.O.S. - Mulheres ao Mar”, “É Fada!”) e é uma produção de Daniel Filho (idealizador da sitcom). O longa-metragem tem estreia prevista para o dia 21 de fevereiro.

Depois de uma longa temporada na prisão, Caco Antibes (Miguel Falabella) volta ao Largo do Arouche para descobrir que todos estão mais falidos do que nunca. A família foi despejada do apartamento e, como se não bastasse, está morando de favor com o porteiro Ribamar (Tom Cavalcante). Como algumas coisas nunca mudam, não demorou muito até Caco meter a família inteira em uma nova roubada. Ao lado de Magda (Marisa Orth), Ribamar, Vavá (Luis Gustavo), Cassandra (Aracy Balabanian) e Cibalena (Cacau Protásio), o trambique dessa vez será a nível internacional e ninguém vai querer ficar de fora desse esquema.

Sucesso nos anos 90 na TV, "Sai de Baixo" estreia nos cinemas. (Fotos: Mariana Vianna / Divulgação)
Os icônicos personagens Caco Antibes (Miguel Falabella), Magda (Marisa Orth) e Ribamar (Tom Cavalcante) estão novamente juntos. Aracy Balabanian, sucesso como Cassandra e Luis Gustavo como Vavá também estão presentes no filme, que conta ainda com novos personagens que vão aumentar à bagunça. Caquinho, filho de Caco e Magda que nasceu na temporada de 1999, já estará um jovem adulto, interpretado por Rafael Canedo. Também estão no elenco nomes como Lúcio Mauro Filho, Katiuscia Canoro e Castrinho.

As diaristas, que sempre fizeram sucesso no seriado, não ficaram de fora. No longa-metragem, o destaque é a atriz Cacau Protásio, como Cibalena, trazendo mais uma vez o espírito mal humorado e confrontador das quatro personagens anteriores. O improviso, uma das marcas registradas da série, assim como as brincadeiras de duplo sentido, continuam na telona. “O filme é tão inconsequente quanto o seriado. A única emoção é fazer rir, é uma verdadeira chanchada”, diz Daniel Filho.

A adaptação da sitcom, que teve seus 244 episódios exibidos originalmente entre 1996 e 2002 na TV Globo e que até hoje é reprisada no canal e no Viva. O roteiro é de Miguel Falabella, com produção da Lereby, em coprodução da Globo Filmes e distribuição pela Imagem Filmes.


sábado, 12 de janeiro de 2019

Projeto Goldfish é mais uma atração confirmada no 'Carnauol Camarote Nº1'



Os DJs Dominic Peters e David Poole, dupla que compõe o projeto Goldfish, são a segunda atração internacional confirmada no "Carnauol Camarote Nº1" em 2019. Os músicos sul-africanos se apresentam no domingo, 3 de março, no espaço idealizado por Victor Oliva. 

Goldfish é formada por uma dupla de sul-africanos que misturam sons de jazz, dance, batidas africanas e instrumentos de corda com o mais atual da música eletrônica em cenário mundial. A mistura de ritmos levou os músicos Dominic Peters e David Poole da Cidade do Cabo à abertura de shows de importantes nomes da cena eletrônica, como Fat Boy Slim, além de oito nomeações em 2009 no South African Music Awards, incluindo as categorias Best Duo or Group e Album of the Year. Na ocasião, garantiram os prêmios Best Producer e Best Dance Album.   

Esta é a segunda edição do "Carnauol Camarote Nº1" no carnaval carioca. Produzido pelo Banco de Eventos, o "Carnauol Camarote Nº1" acontece no domingo, 3 de março; na segunda, dia 4; e no sábado das campeãs, dia 9 de março. Em 2019, uma das grandes novidades é o Carnauol Hotel Nº1. Nos dias de folia, o Hotel Prodigy Santos Dumont contará com uma agenda Nº1. A festa começa na sexta-feira, 1º de março, com a Balada Nº1, e só termina depois dos desfiles da segunda-feira, 04 de março. Os foliões podem adquirir a hospedagem no Hotel Nº1, três eventos exclusivos (balada, pool party e feijoada Nº1) e convites para o "Carnauol Camarote Nº1"  para domingo e segunda-feira, somente domingo ou somente segunda-feira. Estão disponíveis pacotes do tipo double e single. 

Os convites individuais para o "Carnauol Camarote Nº1" já estão disponíveis para compra pelo site www.camaroten1.com.br A negociação para grupos maiores será feita diretamente com o Banco de Eventos pelo e-mail camaroten1vip@bancodeeventos.com


domingo, 6 de janeiro de 2019

Rádio Base, nº419, traz Body County, Iza, Blixten, Michael Jackson e as melhores produções de Quincy Jones

Esta edição do programa Rádio Base Urgente traz um micro-especial com um dos maiores produtores musicais de todos os tempos: o maestro Quincy Jones. Ele foi responsável pela virada na carreira de Michael Jackson e por revitalizar a de Donna Summer. Confira estes tremendos sons e muito mais. 

Boa audição.


Body County - Evil Dick 
Blixten - Trapped in Hell
Anarkólatras - Apenas Um Menino
Devotos do Ódio - Uma Bala na Agulha
Sandy (part. Melim) - Eu pra Você
Geo Mantovani - Tipo Errado de Amor
Iza - Dona de Mim
Asteroids Trio (part. Barata do DZK) - Somos Todos Inocentes
Michael Jackson - Don't Stop 'Til You Get Enough
Donna Summer - Love is in Control
Quincy Jones - I No Corrida 
Quincy Jones - Razzamatazz

sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

Programa da USP FM ajuda estudantes a escolher suas profissões

A jornalista Miriam Ramos, produtora e apresentadora do programa "Abrace Uma Carreira", da USP FM (Foto: Divulgação)
Foi-se o tempo em que o Professor Wagner Horta produzia boletins nas rádios Excelsior e depois na Bandeirantes, orientando os alunos do segundo grau sobre os diversos cursos e carreiras oferecidos pelas universidades públicas e privadas de São Paulo. O programa foi para a tevê e nada parecido foi produzido no rádio desde então, com a mesma periodicidade e assiduidade.

Entretanto, desde 2015, a USP FM coloca no ar o programa "Abrace Uma Carreira" que retoma esse mesmo propósito de orientar os jovens alunos tanto da rede oficial como a da particular de ensino sobre o seu futuro profissional.

Produzido e apresentado por Miriam Ramos, o programa que destaca as profissões com profissionais de todas as áreas e realiza dentro do estúdio o contato entre estudantes, docentes e profissionais do mercado.

Abrace Uma Carreira
Produção e apresentação: Miriam Ramos
USP FM
Quintas, das 13h às 14h
Sábados, das 2h às 3h (representação)
Domingos, das 16h às 17h (representação)
http://radio.usp.br



quarta-feira, 2 de janeiro de 2019

Em vídeo inédito, músico da banda Sarjetas conta sua trajetória dentro do movimento punk



Nem só de vídeos fúteis e inúteis vivem as redes sociais. Tem muita coisa bacana para ser ver e ouvir. Fábio Rodarte, vocalista, guitarrista e baixista da banda Sarjetas, lança um vídeo em que conta a sua trajetória dentro do movimento punk. O músico ainda explica como funciona o esquema de "Do It Your Self"(Faça Você Mesmo, uma espécie de precursora do empreendedorismo dentro da agora chamada "economia criativa"), dentro da cultura pop mundial. Se você é músico, artista de um modo geral, ou simplesmente aprecia a cultura pop sem fronteiras, assista a este vídeo agora!

O vocalista, baixista e guitarrista Fábio Rodarte, da banda Sarjetas: vídeo explica o início do empreendedorismo dentro do rock (Foto: Divulgação)

quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

Rádio Base, nº417, relembra Blood, Sweat and Tears, Aretha Franklin e Dishwalla

O grupo californiano Blood, Sweat and Tears, que ganhou o Grammy, em 1969, pela canção "Spinning Wheel". (Foto: Reprodução)
Blood, Sweat & Tears foi uma banda de jazz rock formada em Nova York, em 1967, e ficou muito conhecida ao longo dos anos 1970. Com 15 álbuns gravados e 11 singles, entre os quais um deles ganhou o Grammy Award, de 1969, pela canção "Spinning Wheel". O BST é o destaque dessa edição do Rádio Base Urgente. Relembre também um sucesso de Aretha Franklin, em 1982 e Dishwalla, de 1977.



Rádio Base, nº417:
Blood, Sweat and Tears - Lucretia MacEvil;
Jota Quest - Tempos Modernos;
Ariana Grande - No Tears Left To Cry;
Aretha Franklin - Jump To It;
Preta Gil & Pablo Vittar - Decote;
Dishwalla - Charlie Brown's Parents;

sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

Coletivo Mistura Fina e Das minas - ABC promovem grande Bazar de Natal com empreendedores do ABC

O bazar de Natal se apresenta como uma opção alternativa para quem não quer enfrentar as filas do shopping nas vésperas do Natal (Foto: Divulgação)

O Coletivo Mistura Fina e o grupo 'Compro de Quem Faz das Minas - ABC' se juntaram para promover no dia 22 de dezembro, de 12h às 20h, no espaço cultural Red Light Duplex (Rua Senador Fláquer, 845 - Santo André) o "Bazar Papai Noel se Perdeu" um grande evento com atrações para toda a família, que promete uma experiência diferenciada para os interessados em adquirir os seus presentes de Natal.

O bazar se apresenta como uma opção alternativa para quem não quer enfrentar as filas do shopping nas vésperas do Natal, além de ser uma ótima opção também para os atrasados que deixarem para fazer suas compras de natal na última hora.

Brincando com a ideia de que até o bom velhinho resolveu fazer diferente neste ano "se perdendo" da rota tradicional de consumo por estar cansado de enfrentar filas imensas nos shoppings e de encontrar sempre os mesmos produtos, os coletivos convidam o público a conhecer outros tipos de presentes.

O Bazar Papai Noel se Perdeu! contará ainda com um Pocket Show de Jazz e Música Brasileira com Giselle Maria e Libero Dietrich, Brasilidades, Samba Jazz, Hip Hop e Funk Soul 100% no Vinil com Diego Estevam e William Nobre - Ere, lançamento do livro de Poemas "Trovas de amor para corações modernos", de Giselle Maria e um cardápio especial de Natal com de comidas e bebidas, com opções veganas preparado pelo Red Light Duplex.

Mais informações no link do evento: http://www.facebook.com/events/513790842470282

Bazar Papai Noel se Perdeu
Dia 22 de dezembro
Das 12h às 20h
Red Light Duplex - Rua Senador Fláquer, 845 - Centro - Santo André - SP (em frente à Chopperia Saramandaia)
Classificação etária: Livre
Entrada Gratuita

Novo filme da franquia Hellboy chega às telas brasileiras em abril de 2019



Com direção de Neil Marshall ("Westworld", "Game of Thrones") e roteiro do próprio criador do personagem, Mike Mignola, ao lado de Andrew Cosby ("Dose Dupla") e Christopher Golden (autor do livro "Of Saints and Shadows"), "Hellboy" teve o seu primeiro trailer internacional divulgado junto com o primeiro pôster nacional do filme. O longa tem a data de estreia prevista para 11 de abril de 2019 e a Imagem Filmes é a distribuidora responsável pelo lançamento no Brasil.

O personagem, que ganhou os cinemas pela primeira vez em 2004, está de volta e, desta vez, será interpretado por David Harbour, conhecido principalmente por seu papel como o xerife Jim Hopper em "Stranger Things". Na história, Hellboy é um demônio determinado a enfrentar todos os tipos de forças do mal que vagam pela Terra. Ao lado de personagens icônicos dos quadrinhos, como Professor Broom e Lobster Johnson, o novo longa recomeça a franquia do zero, trazendo ainda Milla Jovovich no papel da vilã Nimue, uma feiticeira dos tempos medievais que planeja destruir a humanidade como forma de vingança. Jovovich já é conhecida no gênero de ficção científica, por sua atuação na franquia "Resident Evil", no entanto, essa é a primeira vez que a atriz interpreta uma vilã nos cinemas.

Além da estreia do novo filme, a franquia "Hellboy" também completa 25 anos em 2019. Durante a CCXP deste ano, o painel "Hellboy: O Demônio Faz Aniversário" prestou homenagem a Mike Mignola, criador do personagem, e ao universo construído por ele.

O elenco conta ainda com Ian McShane ("Game of Thrones", "John Wick"), Sasha Lane ("Doutor Estranho"), Thomas Haden Church ("Homem-Aranha 3"), Penelope Mitchell ("Hemlock Grove"), Daniel Dae Kim ("Lost", "Divergente: Insurgente"), Brian Gleeson ("Mãe!", "Assassin's Creed") e Sophie Okonedo ("Christopher Robin - Um Reencontro Inesquecível").

O filme conta ainda com Milla Jovovich ("Resident Evil") no papel da vilã Nimue, a Rainha de Sangue, e chega aos cinemas de todo Brasil em 11 de abril (Foto: Divulgação)

Inspirado no romance policial de Garcia-Roza, diretor Daniel Filho encerra filmagens de 'Silêncio da Chuva'

Longa-metragem tem Lázaro Ramos no papel do detetive Espinosa e Cláudia Abreu como a viúva Bia. Guilherme Fontes e Anselmo Vasconcellos fazem participações especiais (Fotos: Mari Vianna/Divulgação)

Projeto do ex-diretor da Rede Globo Daniel Filho, o filme "Silêncio da Chuva", inspirado no primeiro romance policial do escritor Luiz Alfredo Garcia-Roza, chegará aos cinemas. Com roteiro de Lusa Silvestre ("Estômago", "O Roubo da Taça" e "A Glória e a Graça"), produção da Lereby, coprodução da Globo Filmes e distribuição da Imagem Filmes, as filmagens se encerram essa semana, no Rio de Janeiro.

O longa narra a saga do detetive Espinosa (Lázaro Ramos) e da policial Daia (Thalita Carauta) em solucionar o mistério que envolve a morte do executivo Ricardo (Guilherme Fontes), que é encontrado baleado sentado ao volante de seu carro, no bairro da Urca, no Rio de Janeiro. A primeira atitude da dupla é procurar pela viúva, Bia (Cláudia Abreu). Tudo se complica quando ocorre outro assassinato e pessoas envolvidas no caso começam a sumir. O longa-metragem conta ainda com Mayana Neiva, Otavio Muller, Pedro Nercessian, Késia Estacio, Bruno Gissoni e Peter Brandão, com participação especial de Anselmo Vasconcelos, entre outros.

Publicado em 1996, "O Silêncio da Chuva", que abre a série de livros do emblemático detetive Espinosa, recebeu os prêmios Nestlé e Jabuti e foi publicado em nove países. Para fazer a transcrição do livro para as telas, Daniel Filho trouxe a história do romântico Bairro Peixoto da década de 90 para o Rio de Janeiro hostil e chuvoso de 2018. "O livro é uma inspiração, fizemos adaptações no roteiro, afinal, muita coisa mudou nestes 22 anos. A participação de mulheres na polícia é um exemplo", comenta o diretor.



Elenco:
Lázaro Ramos, Cláudia Abreu, Mayana Neiva, Thalita Carauta, Otavio Muller, Pedro Nercessian, Bruno Gissoni, Peter Brandão, Raquel Fabbri, Theresa Amayo, Késia Estácio
Participação especial: Guilherme Fontes e Anselmo Vasconcelos.

Ficha Técnica
Produção: Daniel Filho / Lereby
Coprodução: Globo Filmes
Distribuição: Imagem Filmes
Direção: Daniel Filho