Escritora Maria Adelaide Amaral é entrevistada no Roda Viva

Foto:Jair Magri/Divulgação
Programa inédito vai ao ar nesta segunda-feira (18/05), às 22h, na TV Cultura
O Roda Viva exibe uma entrevista inédita com a escritora, dramaturga e jornalista Maria Adelaide Amaral, na próxima segunda-feira, 18 de maio. O programa, apresentado pelo jornalista Augusto Nunes, vai ao ar a partir das 22h, na TV Cultura. 

Durante sua participação, a dramaturga fala, entre outros temas, sobre o desafio e processo criativo de escrever novelas, séries e minisséries para a televisão, além dos trabalhos também no teatro.  A portuguesa Maria Adelaide Amaral veio para São Paulo aos 12 anos de idade e se instalou com a família no bairro da Mooca. Trabalhou numa fábrica de camisas, como vendedora numa joalheria, bancária no Banco da Lavoura de Minas Gerais e pesquisadora na Editora Abril, para a coleção Teatro Vivo, emblemática publicação dos anos 70. Iniciou, em 1968, o curso de Ciências Sociais da USP, mas não chegou a concluí-lo. Dez anos depois, formou-se em Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero.

Seu primeiro texto dramatúrgico, A Resistência, surgiu em 1975. O primeiro a ser encenado, no entanto, foi Bodas de Papel, escrito em 1976 e montado em 1978 em São Paulo. Luisa, Quase uma História de Amor, publicado em 1986, seu primeiro livro, ganhou o Prêmio Jabuti de melhor romance daquele ano. Transformado em peça teatral alguns anos depois, com o nome de De Braços Abertos, com Irene Ravache, Juca de Oliveira e direção de José Possi Neto, o texto recebeu incontáveis prêmios, transformando sua autora em nome nacionalmente conhecido. 

Dentre suas obras, entre romances e textos dramatúrgicos, Maria Adelaide publicou em 1994 a biografia da comediante Dercy Gonçalves; e sua peça Intensa Magia transformou- se em filme em 2004, com o título de Querido Estranho, protagonizado por Daniel Filho. 

Em 2006, com uma bagagem de seis novelas, um seriado, cinco minisséries, doze espetáculos teatrais, três adaptações para teatro, dez traduções, uma biografia e duas dezenas de prêmios, Maria Adelaide Amaral e Alcides Nogueira retomaram a já consagrada parceria na minissérie JK, da Rede Globo. Em 2010 foi exibida na emissora a microssérie Dalva e Herivelto – Uma Canção de Amor, sobre a vida da cantora Dalva de Oliveira e do cantor Herivelto Martins. No mesmo ano, entrou no ar o remake da telenovela TiTiTi. Em 2012, escreveu Dercy de Verdade, minissérie produzida pela Globo. No ano seguinte, assinou a novela Sangue Bom, em parceria com Vincent Villari. Em 2014, supervisionou os textos da minissérie Amores Roubados, de George Moura.

Participam da bancada de entrevistadores a atriz Irene Ravache, Maria Eugênia de Menezes (editora do Guia Divirta-Se e crítica de teatro do jornal O Estado de S. Paulo), Paula Dip (jornalista e escritora), Eduardo Figueiredo (diretor de teatro) e Celso Curi (editor do guia Off). Há ainda a participação do cartunista Paulo Caruso.

Mais informações: www.cmais.com.br/rodaviva




Comentários