quarta-feira, 10 de março de 2010

De pedra à vidraça no programa Expressão da Bola

Pois é, esse dia chegaria logo. Durante a minha participação no programa Expressão da Bola, da Rádio Nova Difusora, de Osasco, no último sábado, acabei cometendo duas gafes. Logo eu, que estou pesquisando e publicando aqui os erros e situações engraçadas dos grandes nomes do rádio esportivo brasileiro.

A primeira aconteceu logo na abertura do programa. Troquei o nome de um dos integrantes da equipe. Chamei de Marcelo o grande Maurício Capela. Ouça no player abaixo.



Na outra gafe, sem querer acabei enganado toda a equipe que estava no estúdio. Estavamos acompanhando a partida entre Bragantino x Monte Azul Paulista pelo monitor. Durante o intervalo, estavam rolando os melhores momentos. Fiz um gesto e chamei a atenção para um pênalti que aconteceu no primeiro tempo. No entanto, o Guga Mendonça achou que estava ao vivo. Ele iria chamar o Mauricio Capela para narrar o suposto pênalti, até que tudo se esclareceu. Ouça no player abaixo.



Bem que eu tentei disfarçar, mas não deu.

3 comentários:

Felipe disse...

Ave MAria, mais chatos que esses erros, só os 'Errar é Humano', do Peças Raras do Abud( é raro e humano). Forçar a barra chara isos de gafe e por no blog.
Fraco.

RÁDIO BASE URGENTE disse...

Concordo e assino e embaixo, Felipe. Foi bom você escrever isso. Esses "erros" que aparecem postados nesse blog e por aí afora são apenas...erros.

E são feitos por profissionais que se expõe ao vivo para milhares de ouvintes todos os dias, sem ensaio. E só quem já trabalhou assim, sabe que não é fácil encarar o microfone. Só não erra quem não faz rádio constantemente. Natural que errem, claro.

A gente até ri porque às vezes, ás vezes, não deixam de ser engraçados. Mas e daí? Vão mudar os "destinos da radiodifusão brasileira"?

Creio que existam coisas mais importantes para se mostrar e discutir, pelo menos aqui nesse blog. Pior que essas gafes, só mesmo erros grosseiros de informação que, em casos extremos, podem até levar pânico a população. Isso sim, é sério e os profissionais de rádio - e nós também - devemos ficar atentos.

Mas, como esse espaço é livre, você e eu vamos ter que aguentar essas "gafes" - que algumas vezes são sem graça - por muuuuito tempo. É a democracia, né?

Um abraço e continue ligado na gente, ok?

Rodney Brocanelli disse...

Quero agradecer ao Felipe por ter comentado. Acho que os amigos leitores devem saber que uma das grandes angustias do comunicador a é de que o seu trabalho seja recebido com indiferença. Se o Felipe gastou seu precioso tempo para criticar, já valeu a pena.

A manifestação dele me dá uma ótima oportunidade para falar sobre a questão das gafes. Por mais de uma vez, já me disseram que isso dá um toque muito bem-humorado ao blog. Vou mais além: é como se fosse uma charge de aúdio.

Essas gafes em nenhum momento pretendem substituir o debate dos assuntos importantes ligados ao rádio. Mas penso que esse respiro de humor tem que existir, até para que o blog não fique engessadamente sisudo.

O mais bacana é que muitos dos profissionais, cujas gafes publicamos aqui, receberam essa iniciativa da melhor maneira possível, como o Mauro Beting, por exemplo.

Claro que como toda piada, algumas das gafes postadas tem mais ou menos graça, mas imagino que o julgamento depende muito do gosto do freguês.

Acho que é isso, meu caro Felipe. Grande abraço e continue na leitura.