sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

José Paulo de Andrade no Primeira Hora

Desde que voltou de férias, no ínicio de fevereiro, o âncora José Paulo de Andrade foi conduzido à apresentação do jornal Primeira Hora, da Rádio Bandeirantes. Isto não quer dizer que ele deixou o comando do Pulo do Gato e do Jornal Gente, atrações comandadas por ele há muito tempo. Zé Paulo, como é conhecido, agora fica no ar das 05h30 até as 10h00. Jornada de locutor de FM. Haja fôlego.

No ar, percebe-se que a presença de Zé Paulo está eclipsando um pouco a atuação do sempre excelente Haisem Abaki. Como está muito no começo essa nova fase, ainda não ficou bem definido o que cada um faz no comando do jornalístico. Vamos dar um tempo. Ambos são profissionais bem experientes e cada um saberá encontrar seu espaço no mais tradicional jornal de rádio do país.

3 comentários:

Marco Ribeiro disse...

Eu ouvi, mas estava sonolento. Achei que estava sonhando. Mas é muito legal. Mas, não é muita exposição para uma pessoa só, não? Dá a impressão de que não tem mais ninguém para apresentar os programas ou algo assim. A Bandeirantes tinha tanto apresentador antigamente,né? Será a famigerada "contenção de despesas"?

Penso que a tendência é acabar com o "jornal em três tempos" e fazer um único programa, das 5h às 10h, tal qual acontece mais ou menos nas outras emissoras. Essa grade foi criada há mais de 30 anos, talvez seja hora de mudar, não sei.

Fora isso, achei sensacional a ideia de dois comentaristas e 3 locutores no jornal. Ninguém mais faz. E isso me criou um problemão: como vou ouvir o "Primeira Hora" e o Ricardo Boechat na "Band News FM" ao mesmo tempo nesse horário, hein? hehehehe

Marcelo disse...

O único problema do Primeira Hora, em rede, é o número excessivo de comerciais, às vezes picado.
Por exemplo, em emissoras afiliadas o pessoal até se perde, a exemplo de Barretos e Monte Alto e ficam repetindo comerciais em todos os intervalos, o que chega a ser irritante.
O modelo da Jovem Pan é melhor, digo, no quesito programação, não conteúdo.

Rodney Brocanelli disse...

Marcelo, esse espaço do qual você fala não daria para ser preenchido com notíciário?