terça-feira, 12 de janeiro de 2010

A supermega parada popular do povão

Devo estar ficando velho. Antigamente você ligava o rádio FM e ouvia o sucesso: Simone, Djavan, Chico Buarque, Milton Nascimento, Gilberto Gil, Rolling Stones, Beatles, Creedence Clearwater Revival, Emerson, Lake and Palmer, Supertramp, David bowie e centenas de milahres de outros. Hoje em dia.....é essa turma aí.

Será que o mundo evoluiu o está andando de marcha a ré?

Clique aqui e leia o ranking das mais pedidas no rádio "popular" e "pop" de São Paulo.

5 comentários:

Rodney Brocanelli disse...

Que rádio você ouvia, Marcão? Quando eu ligava o meu ouvia Jane & Herondy, Benito di Paula, Angelo Máximo, Wanderley Cardoso, Harmony Cats, Miss Lene, Odair José...

Daniel Neves disse...

As rádios não segmentam apenas sua programação no estilo musical, mas também na faixa-etária. O alvo é pré-adolescentes e adolescentes. Por exemplo: a Mix, a Metropolitana, a 89 focam em Beyonce, Nx Zero, Akon, Jonas Brothers e semelhantes, pois são os artistas que mais a molecada escuta mesmo hoje em dia.
Poucos jovens hoje escutam MPB, rock psicodélico, rock progressivo... e o público de 30 para cima não vai ouvir mesmo essas rádios.
Mas o fato DOS MESMOS artistas estarem nos top 10 com AS MESMAS MÚSICAS, mostra que o jabá vive e ainda está fortíssimo.
Abraços!

Anônimo disse...

Dendenda da época, Rodney. houve um tempo em que esses artistas aí só tocavam no AM, jamais na FM. foi no começo da onda das rádios FMs. Pode perguntar pra qualquer um que trabalhava ou ouvia rádio na época.

Marco Antonio Ribeiro

Anônimo disse...

Tem toda razão, Daniel. Só que até a década de 70 não havia esse conceito de teen, público adolescente. Era o chamado público "infanto-juvenil", termo vago até para a época, e o público jovem. Não havia nenhuma rádio específica para o "infanto- juvenil". Logo, os teens de então ouviam a Excelsior e a Difusora, que era as rádios de seus irmãos mais "velhos" e até alguns de seus pais, pelo menos os mais "modernos" de então. foi só na década de oitenta que a rádio começou a se "segmentar", mesmo que timidamente.

Ainda sim, um "teen" daquela época não só ouvia as "músicas" forjadas para seu público, como também ouvia músicas "destinadas" a outros público, sem preconceito, sem tanta segmentação. Claro que isso não era regra entre essa galera. Uns ouviam bem mais do que os outros, mas não chegava a ser a "bitolagem" de hoje, para usar um termo da época.

Marco Antonio Ribeiro

Anônimo disse...

Que velho nada! Não peguei o rádio mais antigo, comecei a ouvir rádio há 6, 7 anos, mas rádio bom, AM. Mas concordo plenamente contigo. Não suporto pagode, funk, hip hop, gospel e outros lixos que tocam em rádio comercial. Eles pensam que ouvido de ouvinte é penico.
Se não reclamarmos com essas rádio, nós teremos que continuar a aturar esse tipo de som. O povo não gosta disso não, o povo gosta daquilo que dá para ele, e nesse caso o que dão é de péssima qualidade.
Aqui no Rio tem umas rádios que só tocam porcaria tipo Beat 98 (antiga 98 FM) e FM O Dia (essa é a pior de todas=pagode e funk).