Teatro da USP lança livro e cd sobre peça dos anos 60

O Teatro da USP e a Cia do Tijolo promovem o lançamento da segunda edição da publicação Cadernos aParte. O volume reúne material do espetáculo Cantata para um Bastidor de Utopias e, além do livro, traz um cd com as músicas da peça (Elcio Silva/Divulgação)

O Teatro da Universidade de São Paulo e a Cia do Tijolo lançam no próximo dia 24 de junho, às 20h, no Teatro da USP, a segunda edição da publicação "Cadernos aParte".
No Dossiê Cia. do Tijolo, o material do espetáculo Cantata para um Bastidor de Utopias estabelece um diálogo relevante com a referência histórica de luta do prédio da Maria Antônia, onde o Tusp está sediado. No lançamento a Cia promoverá um mini-sarau e uma conversa com o público sobre o processo de criação da peça. A entrada e a distribuição dos livros e do cd é gratuita.

Cadernos aParte é uma publicação especial do Teatro da USP que tem o objetivo de ampliar o acesso ao debate gerado por programações específicas do órgão. Com a publicação pretendemos oferecer ao leitor um material textual que maximize o acesso e a reflexão sobre os modos de produção e os temas por detrás da potencialidade da ação cultural e da efervescência e imprevisibilidade da obra.

O musical Cantata para um Bastidor de Utopias retrata a história de Mariana Pineda Muñoz, enforcada aos 26 anos por desafiar o poder do rei espanhol Fernando VII. Escrito em meados de 1925 por Federico García Lorca, o texto exaltou, em poemas e canções, a vida da jovem heroína que desafiou o autoritarismo monárquico bordando uma bandeira para os liberais. Tal ousadia e a recusa em delatar seus companheiros a levou à morte por enforcamento. A criação se mescla a fatos da ditadura militar brasileira e teve auxilio de intelectuais como Frei Betto.

Com textos de convidados e de integrantes da Cia e depoimentos de personalidades – contendo relatos de resistência a ditadura brasileira que compuseram a mesa-palco do espetáculo –, a Cia do Tijolo traz neste volume uma pequena parte de sua obra altamente comprometida com uma reflexão política e histórica do Brasil.

O grupo trouxe um pouco da tradição do cordel e da vida no sertão com a história do poeta Patativa do Assaré na peça Concerto de Ispinho e Fulô. Neste segundo espetáculo, Cantata para um Bastidor de Utopias, teceu paralelos entre a obra de Lorca e o período ditatorial brasileiro.

A publicação é parte do projeto contemplado pelo Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo, em parceria com o TUSP.

Teatro da universidade de São Paulo 
R. Maria Antônia, 294 – Consolação
Tel.: (11) 3123.5241


Comentários