Balanço preliminar da Virada Cultural

Cantora Wanderléa se emocionou com a plateia entoando a canção “Ternura”


A Virada Cultural 2015 aconteceu no último final de semana, 20 e 21 de junho, em toda a cidade de São Paulo e ofereceu, durante 24 horas, mais de 1500 atrações distribuídas em cerca de 70 palcos no Centro e em todas as regiões da cidade. O clima de tranquilidade permeou o evento ao longo das 24 horas.



Nesta edição, o público conferiu shows, espetáculos teatrais, concertos e apresentações de coral, uma ampla oferta de atrações para todos os gostos e todas as idades. “Quem teve a oportunidade de circular pela cidade nos dois dias deve ter visto espetáculos maravilhosos, sob vários pontos de vista, com muita cidadania cultural também. Não eram somente artistas consagrados, que reúnem muita gente, mas também muitas manifestações de pessoas que também estão fazendo cultura, embora não sejam artistas renomados”, ressalta o secretário municipal de Cultura, Nabil Bonduki.


Ampla programação de corais foi novidades nesta edição


Logo na abertura do evento, essa diversidade pôde ser notada: enquanto a Orquestra Paulistana de Viola Caipira, abria as apresentações no Palco República – Arraial Inezita Barroso, às 18h, no mesmo horário, a Orquestra Sinfônica Municipal iniciava sua apresentação no Theatro Municipal de São Paulo. A homenagem à Inezita Barroso ocupou toda a Praça da República com atrações temáticas e comida típica. 

Além desta, outra homenagem especial foi feita nesta edição: na avenida São João recebeu ícones da Jovem Guarda que animaram a plateia formada por pessoas de todas as idades. No domingo, às 10h da manhã, o tremendão Erasmo Carlos emendou sucessos em sua apresentação, entre eles, Mesmo que seja eu e Mulher. “A Virada Cultural é o evento mais espetacular do Brasil. Estou muito feliz completando 53 anos de estrada nesse palco”, ressaltou ele. 

Mais tarde, às 16h, a cantora Wanderléa, se emocionou com a plateia, que a acompanhou cantados músicas como Ternura. “O show foi emocionante, o público inteiro cantando comigo, a avenida São João lotada numa tarde ensolarada de ternura e muito rock n'roll. Inesquecível! Agradeço a todos pela vibração maravilhosa”, disse ela após o show em sua página oficial no Facebook”. 

Palco Júlio Prestes – show de Caetano Veloso no domingo


O Theatro Municipal de São Paulo teve todas as sessões cheias para conferir apresentações de artistas como Ira! e Fafá de Belém, Alaíde Costa e Arismar, Hermeto e Nenê interpretarem discos clássicos e reviver encontros musicais que não aconteciam há anos. O palco da avenida Rio Branco recebeu o heavy metal e na homenagem a Percy Weiss, o músico Simbas, que esteve afastado dos palcos por pelo menos 30 anos, subiu ao palco e interpretou músicas do Made in Brazil como Anjo da Guarda e Aquarela do Brasil, de Ary Barroso. Robertinho do Recife, que passou por este palco, cantou seu disco dos anos 1980, quando ele atravessou a sua fase metal.

No palco dedicado aos musicais, na Praça Princesa Isabel, uma das novidades desta edição, a apresentação de Tiago Abravanel cantando Tim Maia atraiu grande público, que ficou para conferir, na sequência, à meia-noite, a montagem Rita Lee Mora ao lado, que tem a atriz Mel Lisboa no papel da protagonista. O palco da dança montado novamente na Praça das Artes ofereceu conforto ao público, que compareceu ao longo das 24 horas e assistiu às apresentações em cadeiras distribuídas pelo vão livre do local. No Palco Cabaré, aconteceu o concurso Rainha da Virada - Batalha das Drags, que teve em terceiro lugar a drag Dana, em segundo Dafne e a grande vencedora foi Makayla.

Os corais, que reuniram cerca de 2.000 vozes, estiveram distribuídos pela cidade em locais como o Cemitério da Consolação, Mosteiro de São Bento, Praça das Artes, no Salão dos Arcos do Theatro Municipal de São Paulo. Ao meio-dia do domingo, houve um abraço simbólico no entorno do Theatro que contou com a participação de João Bosco. O conjunto interpretou a música O Bêbado e o Equilibrista, de autoria do cantor e compositor.

A Viradinha, um dos grandes sucessos desta edição, aconteceu desta vez no entorno da Biblioteca Monteiro Lobato e foi um grande programa familiar. No local, além das apresentações dos grupos Beatles para Crianças e Palavra Cantada, que receberam milhares de crianças acompanhados de seus pais, havia brinquedos como pula-pulas e oficinas. O secretário municipal de Cultura, Nabil Bonduki, avalia para o próximo ano a ampliação da Viradinha para outras regiões da cidade. “Vamos estudar formas de distribuir melhor a Viradinha, por toda a cidade, para que crianças de todas as regiões possam aproveitar”, adiantou ele.

O palco Júlio Prestes, o maior do evento, abriu em clima de carnaval com o show do grupo Monobloco. A cantora Daniela Mercury se apresentou na sequência, com uma homenagem aos 30 anos do axé. A cantora Marcia Castro, convidada de Daniela, cantou sucessos do axé como A Roda, de Sara Jane. Na madrugada, o cantor Fábio Jr. desfilou seu repertório romântico e mais tarde, Edson Gomes, um dos expoentes do reggae brasileiro, subiu ao palco às seis de manhã e animou a plateia com clássicos do reggae. No mesmo palco, aconteceu o encerramento do evento no domingo, 21, às 18h, com apresentação do cantor Caetano Veloso no Palco Júlio Prestes. Ele revelou que estava ansioso pelo bis da sua mais recente turnê mundial. “É bom estar em São Paulo, estava louco pra chegar. É o fechamento do ‘abraçaço’, desta longa turnê do ‘Abraçaço’, e fechar na Virada Cultural de São Paulo é o melhor pra mim”.  O show terminou por volta das 19h30 do domingo, dia 21.



Fora dos palcos do Centro, o destaque ficou para os CEUs, que reuniram grande público, como no show das bandas Planta e Raiz, que aconteceu no CEU Vila Curuçá, em São Miguel Paulista e também o cantor Rael, no CEU Pêra Marmelo. As parcerias com a rede SESC-SP, Dia da Música, Cultura Inglesa Festival e o Consulado Geral de Portugal, promoveram a descentralização do evento com programação diversificada, que contou de artistas internacionais a músicos independentes.

Saúde - Durante as 24 horas da Virada Cultural, houve 268 atendimentos médicos em todos os pontos do evento, dos quais 61 resultaram em remoções. Os números foram semelhantes à edição do ano passado. Os palcos montados nos quatro Centros Educacionais Unificados, CEUs Heliópolis (zona sul), Pêra Marmelo (zona norte), Cantos do Amanhecer (zona sul) e Vila Curuçá não registraram ocorrências. 

Os palcos do Funk SP somaram 12 atendimentos médicos, sem remoção.  O SAMU registrou 23 atendimentos relacionados ao evento, dos quais quatro foram removidos. As principais causas de remoção foram intoxicação alcoólica, dois ferimentos por arma branca, crises convulsivas e fraturas leves, todos sem maior gravidade.

Fiscalização e combate ao comércio irregular - Na fiscalização trabalharam 150 pessoas no total, entre agentes vistores, engenheiros e pessoal de apoio. Mais 18 veículos, sendo 11 caminhões baú e 7 kombis. As equipes de fiscalização lacraram e apreenderam 832 sacos de mercadorias como água e bebidas sem procedência.

Segurança - A Guarda Civil Metropolitana apreendeu na Virada Cultural 2015 cerca de 28 mil itens, dos quais 9.800 eram bebidas alcoólicas, além de artigos perecíveis, vinho químico, entre outros. O efetivo destacado para o evento foi de 2.310 guardas civis metropolitanos.

Ao todo, sete ocorrências foram registradas nos Distritos Policiais da região central, nove pessoas foram presas e dois adolescentes foram apreendidos por roubo, furto, tráfico de entorpecentes, agressão e porte ilegal de arma. Foram capturados 92 frascos de lança perfume, 70 pedras de crack, 95 invólucros de cocaína e 49 de maconha, além de um revólver calibre 32. As mercadorias apreendidas foram encaminhadas para depósito da Subprefeitura da Sé.

Pesquisa do Observatório de Turismo e Eventos da São Paulo Turismo -  A 11ª edição da Virada Cultural realizada neste fim de semana em São Paulo pela Secretaria Municipal de Cultura, foi um sucesso, de acordo com o público que compareceu e prestigiou centenas de atrações espalhadas por várias regiões da cidade durante mais de 24 horas de programação. Segundo os resultados da pesquisa feita pelo Observatório de Turismo e Eventos da São Paulo Turismo (SPTuris, empresa de turismo e eventos da cidade), a nota geral dada pelas pessoas foi de 8,3, sendo que quase 70% atribuíram notas entre 8 e 10.

Comentários