Coletivo Os Marchistas lança primeiro CD de canções inéditas


Por Vania Abreu 

As marchinhas reinavam soberanas em carnavais entre as  décadas de 1920 e 1960. O mundo mudou, a música mudou, os carnavais também mudaram. As ruas e as festas do Rei Momo se tornaram espaços de disputas individuais, cheios de mercado e de projeções de imagens. Muita indústria para tudo e chegamos ao tempo em que dar um passo a frente, talvez seja dar um passo para trás. “resignificar” o que é velho, o que é o novo. A ideia de que o novo na música só é a desconstrução dela mesma, também não cabe mais. 

Três artistas contemporâneos, compositores e parceiros em diversas músicas, com carreiras distintas e independentes resolveram estar juntos para formar um coletivo de marchinhas. Marcelo Quintanilha, Tenison Del Rey e Thathi são Os Marchistas e lançam pelo selo Friends Music o primeiro EP com o nome do grupo como título do álbum.  

Com produção musical do “marchista” Marcelo Quintanilha, “Os Marchistas” é a primeira produção do novo selo da Friends, conceituada produtora de áudio que abre seus estúdios em 2014 para ampliar sua relação com a música.

O conceito musical está essencialmente nas boas composições e na revelação da “marchista” Thathi empunhando a guitarra baiana, instrumento pouquíssimo adotado na música brasileira. Com repertório autoral e inédito e temas ligados aos dias de hoje, o coletivo traz charme e frescor ao clássico repertório de marchinhas que unem gerações e religam nossa identidade à nossa memória.

Querem estar nos carnavais de rua, querem carnavalizar com poesia shows de música, como cantam na música “Carnaval de Rua” de autoria de Marcelo Quintanilha “Vem, vem dançar na rua, vem, vem que a rua é sua…”, “…deixa de frescura e desce desse salto, vem se misturar na multidão” que conta com a participação especial do cantor Jau.

Na marchinha que abre o EP de 7 músicas, intitulada  “Os Marchistas” de autoria de Tenison Del Rey, Thathi, Marcelo Quintanilha e Gerson Guimarães, cantam “…Nós os Marchistas não somos dentistas, Nem radialistas, Nós somos artistas querendo cantar…”. 

Todas inteligentes e divertidas composições, como declaram em  “De Marcha à Ré” (Tenison Del Rey, Thathi, Marcelo Quintanilha e Gerson Guimarães) “… E a gente aqui de marcha à ré na contra-mão…”. Com a Marchinha “Me Cutuca”, ganharam o 1º Concurso de Marchinhas realizado em Salvador em fevereiro de 2014. Faturaram também o segundo lugar com “Ele é Mulher no Carnaval”. 

Para lembrar do que não pode ser esquecido, para ser novo, para misturar, para seguir em frente “com memórias e novas histórias”. Para lembrar que a rua é nossa, sem cordas e que marchinhas são músicas para o ano inteiro.

Por que não?





Comentários