Apontando para a posteridade, Edu K lança novo EP




E o vocalista da banda De Falla Edu K está com um novo trabalho: "Boy Lixo". E junto com ele, o cantor lança um manifesto sobre o que ele chama de "queda da bastilha sexual", pregando a tão sonhada igualdade entre homens e mulheres e blá blá blá, blá blá blá. Duvido que o mais arrenhido fã de Edu K se atenha verdadeiramente a este palavrório todo.

O que importa é o som, que abre uma nova fronteira dentro do que poderíamos chamar de "música eletrônica brasileira". Curioso é que esse baticum eletrônico, que invadiu o hit parade americano nos últimos anos, soa como demonstração de falta de criatividade do "mainstream" americano; aqui no Brasil, ele chega a ser interessante, diferente, quase alternativo. Vai ver que é a "sonoridade" do nosso idioma - a última "flor do lácio" - que ajuda.

Edu K se desobriga de usar os recursos da palavra cantada e vai direto para o canto falado. Em outros momentos, "metaliza" sua voz ao extremo, porém, abusando desse recurso. Os arranjos por vezes ofuscam a maturidade das letras, que dizem muito sobre o dia-a-dia de quem vive à noite.

É possível que daqui a alguns anos a história da música tupiniquim reconheça em "Boy Lixo", uma obra necessária para se entender esse começo de milênio, mas eu duvido. Quem viver, verá. E ouvirá.

Comentários