segunda-feira, 28 de março de 2011

Radiografia da coluna - 28 de março de 2011

Tira esse sinal digital daí
Poderiam ter aproveitado essas mudanças na programaçao da Rádio Globo para tirar essa porcaria de sinal digital da Rádio Globo de São Paulo. Ele só presta para quem tem o rádio com o sistema IBOC, se a gente nem sabe ao menos se será o sistema adotado.

Nomes criativos
Em tempo: quem foi o gênio que deu esse nome lindo a um programa de rádio: "Grama na Calcinha"? Será que foi o mesmo que criou há alguns anos ali mesmo na Globo um programa chamado "Amigas invisíveis"?

Novas vinhetas da CBN
Por falar em Sistema Globo de Rádio, A CBN renovou quase todas as suas vinhetas de identificação. Ficaram boas, mas as antigas também eram legais. A mudança, se pouco me engano, vieram justamente ontem, domingo. Será que tudo isso é medo da "nova" Rádio Estadão/ESPN?

Vox Populi.....
O apresentador Carlos Alberto Sardenberg recebeu em seu programa "CBN Brasil" dezenas de reclamações de ouvintes a respeito das novas vinhetas. "Vox Populi, Vox Dei", como diria aquele velho locutor na antiga Roma.

Velhinhas, não?
Eu gostei das vinhetas. Estava na hora de renovar. Acho que a maioria não se lembra mas boa parte delas entraram no ar quando a emissora passou a transmitir em FM. Isso em....1996. Faz tempo, hein?

Futebol "All News"
Quem também escolheu ontem estrear uma nova atração foi a Band News FM que iniciou suas transmissões esportivas em São Paulo. Isso sim, era necessário. Não dá para fazer radiojornalismo "all news", ou coisa que o valha, sem as transmissões esportivas. Até que enfim a Band News FM entendeu isso.

All News à brasileira
Outro ponto positivo na Band News FM nos últimos tempos é que ela vem se distanciando do modelo americano que adotaram de esquemas quase rígidos de jornais de 20 minutos, notadamente cop... quer dizer, inspirado na emissora 1010 WINS, de Nova York.

Quanto riso. Ó, quanta alegria...
Durante o sábado a emissora entrou ao vivo várias vezes do Pavilhão do Ibirapuera, em São Paulo, onde estava sendo realizado o "Risadaria". A repórter da Rádio Band News entrevistou humoristas, palhaços, curadores da mostra, enfim, todos os personagens ali no evento. E os jornais de 20 minutos foram quase todos para as calendas.

Mandando para longe
Isso é sensacional. Eles pegam um modelo americano e fazem do jeitão brasileiro. A Band News FM deveria se soltar mais. O melhor horário da emissora é notadamente o das 7h ás 9h da manhã, Em que Ricardo Boechat e seus "comparsas" mandam o esquemão para muito longe de lá.

Humanidade no ar
Boechat e sua turma até que tentam seguir tudo direitinho, terminar o jornal no horário e tudo mais. Mas no dia em que eles conseguirem, vai perder toda espontaneidade do único jornal humanizado no horário nobre do rádio.

Jornalismo sem repórter
Para não dizer que só elogiei a Band News FM, vai aqui um puxão de orelhas - no bom sentido. A rádio não tem repórteres na rua, diferentemente dos modelos que as inspirou. A Estadão/ESPN também não. Não estou me referindo aos setoristas, que é outro papo. Eu falo daquele profissional que cobre buraco de rua, amassa barro e tudo mais.

Lição dos veteranos
Elas querem disputar audiência com as demais? Ponha repórter na rua como a CBN, Bandeirantes e Jovem Pan - emissoras vetreranas no assunto - fizeram a vida toda.

Rádio ligeirinha
Não dizem que o rádio é muito mais veloz que a internet na hora de dar as notícias? Pois, é. Mas precisa ter alguém lá, registrando os fatos.

Tv presente, rádio ausente
A televisão manda repórter para o local dos acontecimentos. E olha que enviar uma equipe de tv para a rua é muito mais complicado do que mandar apenas o repórter da rádio ou do jornal.

Um comentário:

FLÁVIO GUIMARÃES disse...

Olá, Marcos Ribeiro

Muito legal a sua "Radiografia da Coluna". Ritmo e volume de informações, em boa dose. Favorece a leitura e dá prazer.

Quanto à sugestão enviada à BandNews FM, faz tempo que o próprio slogan da emissora é motivo de pilhéria: "Em 20 minutos tudo pode mudar" ... "mas não muda", é o que o ouvinte acrescenta intuitivamente. O que resta é a insuportável repetição da mesma notícia o dia todo. "Não há tatu que aguente", como diz um velho ditado caipira.

Por causa dessa mesmice idiota é que o modelo começa a se adaptar (com muito atraso) ao gosto do ouvinte.

Não adianta "bolar" (no caso, aqui, copiar mesmo) alguma coisa, tachá-la de nova e achar que o ouvinte vai na onda. E, nas chamadas, deixar claro que é rádio moderno, diferente de tudo quanto existe por aí.

No viés da observação, fica, para o ouvinte, a pecha de ser antigo por não gostar, eventualmente, do novo modelo. Faça-me um favor!

Demorou até demais para cair a ficha do pessoal do Morumbi. Não é por acaso que o melhor horário da emissora é o de Ricardo Boechat, antes ocupado por Carlos Nascimento, também com sucesso.

O papo solto, descontraído e a participação de colunistas bem humorados e bem informados fazem da receita um prato delicioso, com gosto de quero mais.

Ali não tem a ditadura boba de achar que tudo, no rádio, é audiência rotativa. Ou eles acham que o público matinal que acompanha Boechat e "seus comparsas" - como você diz - se renova a cada manhã? E a fidelidade do ouvinte? Até outro dia, os defensores do rádio moderno, fidelidade não existia. Ser moderno é ser atual. Todo o resto é tentativa de reinventar a roda.

Embora eu não tenha acesso a dados de pesquisa, a discrepância de audiência deve ser tão grande em relação aos demais horários da BandNews que não resta outra saída. Ou muda ou vai para o buraco negro da rejeição do ouvinte. E fim de papo.

A rapaziada que cuida dos destinos da rádio não é ruim. Ali tem gente com alguma qualificação e até uma certa competência. O que os estraga é a demasiada pretensão.

Parabéns pelas observações, Marcos, e pela formatação da coluna.