terça-feira, 20 de abril de 2010

Vitrola do Janja: o podcast das bandas do underground

Oba, oba, oba! Está de volta o "Vitrola do Janja", o nosso podcast especializado em rock nacional alternativo. É para você ouvir em casa, no seu computador, ligado ao sound system no último volume, ou no seu Iphone, Ipod, ipobre, Mp3, Mp4, mp5,.....mp1000, enquanto você pega aquele confortável busão para o trabalho ou o trenzão de volta da escola. Confira o que rola nas edições dessas semana:

-----------------------------------
VITROLA DO JANJA - NÚMERO 7

EP "Crise em Creise" - HIEROFANTE PÚRPURA
1 - "Casa"
2 - Qualquer um toca isso hoje em dia"
3 - "Rainha do Universo"
4 - "Discutindo"



Baixe o programa aqui

--------------------------

VITROLA DO JANJA - NÚMERO 8

1 - LA CARNE - "Blues dos seus absurdos"
2 - BIOFACE - "Negligência"
3 - DZK - "Por um mundo melhor"
4 - AÇÃO DIRETA - "Por que um animal"



Baixe o programa aqui

2 comentários:

Rodney Brocanelli disse...

O nome Vitrola do Janja é bom. Contudo, parece nome de podcast que toca Altmar Dutra, Lindomar Castilho e outros. Por que não mudar seu perfil para uma linha mais popular, como a dos artistas citados aqui?

RÁDIO BASE URGENTE disse...

Discordo, Rodney. Não sei de onde você tirou esta conclusão que é tão engraçada. O nome deste podcast tem uma história que só os meus amigos mais próximos conhecem e que não vem ao caso discutir com os nossos leitores/ouvintes. Mesmo assim, gostei da sugestão. Adoro Altemar Dutra, Lindomar Castilho e afins. Inclusive já os toquei em meu programa na USP FM. Quem sabe eu não repita a dose? Por enquanto, a prioridade tanto no blog como no site é divulgar bandas e artistas com quase nenhum espaço nas emissoras de rádio comerciais.

O nome é o que menos importa. O importante é levar aos nossos leitores/ouvintes um pouco da cultura pop que habita a periferia das grandes cidades, bem como o interior do Brasil. Até porque, para divulgar os grupos e artistas consagrados da chamada "grande mídia", não faltam canais de tudo que é jeito.

Eu e os demais "podcasters" achamos que este tipo de programa só tem sentido se for uma opção ao que rola no chamado "mainstream", que amplia e massifica a audiência. E a prioridade, ao menos para mim, é a produção nacional.