segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Quando o humor é ridículo

por Emerson Luis, do blog Nas Retinas


A tentativa de aproximar a paródia da realidade talvez seja uma das formas mais grotescas de humor. Imitadores sem talento se proliferam pelas rádios de São Paulo, que usam o tradicional humor para aumentar a audiência.

O “timing” da imitação vocal, realizada com habilidade por Oscar Pardini, Zé Américo, Tátá, Escova, Beto Hora, Sérgio Leite, isto para citar somente alguns gênios do rádio, está na capacidade do humorista de reinventar o imitado, ressaltando suas qualidades e improvisando a partir de um texto bem feito.

O tal Bartô, “humorista” da rádio Metropolitana FM de São Paulo, que se dedicou por alguns dias a enganar rádios de países de língua portuguesa se passando pelo presidente Lula, faz o gol do ridículo da profissão, sem talento algum ou capacidade de improviso, causando vergonha alheia em quem ouve.

Como o humor no rádio de São Paulo se deprecia a cada ano, pela falta de novos humoristas com inteligência e personalidade, o público perde a referência do que pode ser engraçado e passa a ser menos exigente sobre o que ouvir. A partir dai, qualquer pessoa que imite, é considerada talento nato a ocupar os microfones.

Enganar os irmãos de língua portuguesa neste caso não passou de um artifício para simplesmente ter um quadro no ar e nada mais. A imitação é tão ruim que não consegue enganar nenhum brasileiro que conheça o hábito de falar do presidente Lula.

Ao tentar enganar Beatriz Wagner, diretora do Programa de Língua Portuguesa da Rádio SBS da Austrália, a produção e o humorista da Metropolitana FM de São Paulo expuseram a má fé e a falta de talento, um mix que compromete a credibilidade de qualquer veículo de comunicação, mesmo que este veículo não tenha e não queira qualquer credibilidade.

Imediatamente o correspondente da SBS no Brasil Luciano Borges ajudou a localizar os falsários e a alertar a Secretaria de Comunicação da Presidência da República.

Veja aqui o relato no serviço em português da SBS.

Um comentário:

Marco Ribeiro disse...

Concordo com o Emerson, a qualidade do rádio FM está cada vez pior. Fica cada vez mais difícil destacar coisas boas nessas faixas de ondas.

Parece que o que dá audiência aqui são apenas aquelas coisas hediondas que foram herdadas do AM. Nesse país nunca se seguem os bons exemplos, por ciumeira; prefere-se seguir os ruins, por que dá audiência.

Está na hora de se começar a discutir qual é a parcela de culpa de nós, ouvintes, que prestigiamos o que o puro lixo e desprezamos as poucas coisas boas que ainda se ouve no Rádio.

Marco Antonio Ribeiro
São Paulo - SP