sábado, 26 de julho de 2008

Rádio Record: cada vez mais de volta ao passado

Se a TV Record está clonado a Globo tentar conquistas a liderânça de audiência, a Rádio Record está clonando a Rádio Record dos anos 70 e 80 para atingir o primeiro lugar no ranking do Ibope. Prova disso é a contratação do comunicador Zé Béttio para comandar o horário das 5 as 7 da manhã.

Diz o release que "a Rádio Record reforçou a equipe de apresentadores e iniciou um audacioso projeto para superar as emissoras concorrentes. O principal objetivo da direção da Rádio Record é posicionar a emissora no quarto lugar de audiência no ranking geral da capital de São Paulo e, consequentemente, chegar mais próximo da segunda colocada no ranking das rádios populares".

Mas esse audacioso projeto nada mais é que a reprodução de fórmulas do passado. Um dos pilares dessa fase da Rádio Record é Gil Gomes. Outro é o reforço da linha sertaneja nos domingos pela manhã. Com a vinda de Zé Béttio, a Record radicaliza esse processo. Vale reproduzir um comentário feito aqui mesmo neste Rádio Base, no dia 27 de março, quando a emissora relançou sua programação sertaneja:

A Rádio Record administrada pela IURD está cada vez mais parecida com a Rádio Record que foi de propriedade da família Machado de Carvalho.

Assim que foi adquirida pela Universal, a emissora perdeu seu rumo, chegando a transmitir uma programação eminentemente religiosa, como se não bastasse o fato da igreja ter a Rádio São Paulo e a Rede Aleluia (FM). O bom senso prevaleceu e a Record foi, aos poucos, voltando a ter uma programação secular. Tentou o caminho do jornalsimo, mas esse segmento já está ocupado por emissoras com ampla tradição histórica.

Com isso, nada melhor que voltar ao passado para tentar se reposicionar no mercado. A base atual da programação lembra muito aquela que fez da emissora líder de audiência nos anos 80: comunicadores populares, musica sertaneja e cobertura futebolística.
.

Um comentário:

SIDNEY OLIVEIRA disse...

É VERGONHOSO O TOM DE INCREDULIDADE E ATÉ UM POUCO DISCRIMINATÓRIO QUE UMA PARTE DA IMPRENSA DO NOSSO PAIS FAZ EM RELAÇÃO AO CRESCIMENTO NOTÓRIO DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO DA UNIVERSAL E AI EU PERGUNTO O QUE É NECESSÁRIO SE FAZER PARA RECONHECEREM ESTA REALIDADE ? USAM TERMOS COMO ( CLONE,PATRIMONIO DO EDIR MACEDO, ETÇ..)NUM TOM CLARO DE DISCRIMINAÇÃO.
NÃO É CLONE . É CRESCIMENTO. HOJE QUEIRAM OU NÃO QUEIRAM NÃO TEM MAIS MONOPÓLIO. HOJE É GLOBO , BAND , CAPITAL E CHEGANDO COM MUITA COMPETENCIA A RECORD