sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Se esqueceram do Radar Cultura?

Ontem completou-se um mês da estréia do Radar Cultura, projeto inovador da Fundação Padre Anchieta que, por enquanto, ocupa algumas horas na programação da Cultura AM. Para comemorar, o horário do programa foi até ampliado. Além das duas horas originais (20h às 22h), mais três horas (das 15h às 18h) para meter o bedelho na programação. A equipe do Jornal da Cultura, da TV, também deixa os seus tópicos lá sobre as reportagens do dia para comentarmos.

Enquando a maioria dos blogs já se esqueceu do programa, Rodney, Marcos Ribeiro e eu batemos cartão no site, participando das discussões, deixando playlists... e temos opiniões diferentes sobre o primeiro mês do projeto. Escrevo agora as minhas.

Como toda nova idéia, carece de ajustes ainda, principalmente na programação musical. Deveriam ser criados mecanismos para evitar que músicas de um mesmo artista sejam executados num mesmo programa. Na última quarta-feira, só na primeira hora ouvimos Cássia Eller e Seu Jorge DUAS VEZES cada um. Nem a Nativa FM tem uma taxa de repetição tão pequena. Alguma ferramenta deveria existir para dar um chá de cadeira no artista que acabou de tocar, pelo menos até o programa seguinte.

Às vezes fica um pouco chato também ouvir TODOS OS DIAS alguns nomes intocáveis da MPB, como Chico Buarque e Gilberto Gil. São ótimos, lógico. Mas todos os dias? Como comentei com o Rodney, fica parecendo aquela coisa de fã-clube, todos se unindo para votar somente nesse ou naquele artista. Praticamente uma torcida uniformizada.

Acho o espaço reservado para podcasts pouco ou mal aproveitado. Ouvi pouquíssimos indo para o ar. Não sei se por falta de qualidade ou o que...

Como pontos positivos, destaco a apresentação. Os locutores estão sabendo comandar o programa. Um pouco mais de ritmo e fica perfeito. A própria equipe do projeto também participa do site e da programação, tendo no seus votos o mesmo peso que o dos ouvintes. Isso ajuda a dar mais diversidade à programação e aos temas expostos. De repente, a participação do ouvinte também por telefone ou pessoalmente, no estúdio, também ajudaria.

Continuamos de olhos e ouvidos ligados no projeto e aguardamos as novidades.

Um comentário:

Marco Ribeiro disse...

Falta dinamismo para o programa, não ao site. O espaço para se ouvir as músicas na rádio deve ser maior e deve ir para a FM também. Cinco horas ainda é muito pouco.