sábado, 24 de novembro de 2007

A audiência do rádio esportivo em SP (AM)

O bom site Bastidores do Rádio, conduzido por Adriano Barbieiro publicou na véspera do último feriado números interessantes e atualizados sobre a audiência das emissoras AM que transmitem futebol.

Não há nenhuma novidade na liderança incontestável em todos os levantamentos apresentados: sábado entre 14h e 20h, sábado entre 16h e 18h, domingo entre 14h e 20h e domingo entre 16h e 18h (com a bola rolando). Mesmo estando à frente, a Globo vem passando por um período de reformulações, com saída de vários profissionais, muitos deles já veteranos de casa, como Romeu Cesar, Domigos Machado e Angelo Ananias.

A coisa fica animada mesmo na disputa pela vice-liderança, que envolve três rádios. Isso mesmo que você leu. Três rádios disputam ponto a ponto a posição de segunda colocada entre as que transmitem futebol.

No sábado, entre 14h e 20h, quem se destaca é a Capital AM. Ela chega a abrir dez pontos de vantagem sobre a terceira colcada, a Bandeirantes. Mas entre 16h e 20h, com o jogo já em andamento, a coisa aperta. Temos empate técnico! A Capital e Jovem Pan estão com 0,21%, cada uma, enquanto a Bandeirantes vem quase na cola com 0,20%.

No domingo, a situação é diferente. Entre 14h e 20h, a vice-liderança fica com a Jovem Pan, com 0,27. A Capital é a terceira colocada com 0,24%. A surpresa fica por conta da colocação da Bandeirantes: quarta, com 0,20%. A emissora do Morumbi deteve por anos a vice-liderança absoluta. Com bola rolando, a Pan abre mais sua vantagem, ficando com 0,38%. A Bandeirantes cresce e passa a Capital: 0,22% e 0,18, respectivamente.

CBN, Record e Eldorado apresentam desempenho modestos em todos os levantamentos. Nenhuma delas apresntou números acima dos 0,10%.

*

A Rádio Capital nunca teve uma tradição linear na cobertura do futebol. Quando surgiu, no final da década de 70, teve uma equipe esportiva fomada por profissionais egressos da Rádio Tupi (SP). Sob a direção de Hélio Ribeiro, ela inovou na cobertura, transmitindo várias partidas ao mesmo tempo, num esquema conhecido como carrossel. Se no mesmo horário tivessemos quatro partidas, a Capital fazia posto em todas elas. Seus narradores se revezavam para descrever os lances de emoção que estivessem acontecendo nos jogos.

Depois que Helio Ribeiro deixou a Capital, esse sistema foi descontinuado, assim como a equipe esportiva. Em 1982, Dirceu Maravilha comandou um time, bem mais modesto, que segurou a onda por mais alguns anos. Dois anos depois, as contratações de Zé Béttio e Oswaldo Bettío, vindos da Record, colocaram fim definitivo ao futebol.

Demorou pouco mais de dez anos para que a Capital entrasse de novo nas transmissões, sob a liderança de Eder Luiz, que veio da Bandeirantes, em 1995. Mas esse projeto também não durou muito, e foi abortado no final de 1996. Na primeira década do século XXI, nova tentativa, desta vez com profissionais comandados por Ivanor Batista.

Atualmente, a equipe de esportes da Capital conta com profissionais como Octavio Muniz, Fausto Cesar (filho de Nilson Cesar, da Pan) e Bruno Filho, entre outros.

*

Com relação à Bandeirantes e Jovem Pan cabe ressaltar o que já foi escrito aqui neste mesmo espaço. A Pan investe mais em informação e análise, contando com uma boa equipe de retaguarda. O investimento da Bandeirantes, por sua vez, é nos grandes nomes, como José Silvério, Milton Neves, Claudio Zaidan, cada um deles com uma grande leigão de admiradores. A emissora do Morumbi não pode se escorar apenas no prestígio de seus profissionais.

3 comentários:

Anônimo disse...

por falar em rádio esportivo gostaria de saber onde está o bom e diferente repórter Alex Miller

Marcos Ribeiro disse...

A Jovem Pan não investe mais em informação e análise como outrora. De olho no "bibop", eles inventaram numa coisa ridícula na hora do almoço me que todo mundo bate-boca e quem está em casa não consgegue ouvir nada. È uma pena porque a Pan realmente tem ótimos profissionais e não precisa de programas de "briga de lavadeira" para chamar a atenção.

pedro disse...

Na minha opinião a Radio Globo só esta na lideranças graças ao ótimo locutor Osar Ulisses.Ele é lider absoluto em São PAulo a vários anos, mesmo assim não é tão venerado como outros locutores. Pra mim o Oscar é o melhor de todos. O Silvério, ja esta ultrapassado, foi bom, mas hoje não transmite mais emoção, Ulisse Costa pra mim é melhor do q ele, ja na Capital não entendo esssa audiência, pois o locutor titular deles é horrível.
Na Pan, Nilson Cesar tenta imitar o Silvério, é lastimável isso!