Ana Souto e a dificuldade de se fazer teatro, no "Provocações"

A dramaturga  explica por que não é conhecida do grande público. A edição inédita com o apresentador Antônio Abujamra vai ao ar na terça-feira, dia 26, às 23h30, na TV Cultura (Jair Magri/Divulgação)

A dramaturga Ana Souto é a convidada do "Provocações" em edição inédita, comandado por Antônio Abujamra, que vai ao ar nesta terça-feira, às 23h30, na TV Cultura.
Apaixonada por livros desde os cinco anos de idade, Ana Souto conta o que a fascina nas artes cênicas: “A primeira coisa que me chamou a atenção no teatro não foi nem o ato de atuar, mas o texto. Eu achava lindo aquilo, as pessoas falando o texto”.

Com 24 anos de carreira e apaixonada pelo teatro documental, a dramaturga explica por que não é conhecida do grande público. “Ser celebridade nunca foi uma meta. O meu currículo é bem variado, mas eu nunca tive tantas produções, pois levantar um projeto demora dois ou três meses”.

A diretora  fala sobre as dificuldades de se fazer teatro no Brasil e explica as condições de financiamento para a produção cultural, sobretudo a teatral. Segundo ela, existe uma disparidade entre o dinheiro que vai para os projetos subsidiados pela Lei Rouanet, que estão sob curadoria de empresas, e o que vai para os produtores independentes, aqueles que fazem diálogos horizontais com a sociedade, “aqueles que estão na contracorrente, que querem falar das coisas que não estão na moda...”, explica. Ela completa dizendo: “Eu me considero um deles (produtor independente), e tenho essa dificuldade, que é conseguir subsídio para essas temáticas e questões que são prementes da sociedade”. Ana Souto fala ainda de sua experiência na oficina de roteiro da TV Globo: “Como roteirista, estou sempre buscando essa qualidade do entretenimento que a dramaturgia traz”.

Comentários