Tecladista de Prince faz shows nesta sexta e sábado


De volta ao Brasil após duas décadas morando em Los Angeles (Estados Unidos), o compositor e tecladista paulistano Renato Neto, que já tocou com Prince, Rod Stewart e Tim Maia, entre outros, se apresenta nesta sexta-feira, 9 de maio, às 21h, no Sesc Pompeia, para lançamento do CD Plugins Amazônicos, do Selo Sesc. No sábado, dia 10, às 20h, é a vez do Sesc Osasco. Os shows contarão com a presença de Rappin Hood, que participa da faixa Soul Índio no CD. Este é o primeiro trabalho solo de Renato Neto.

Os ingressos podem ser adquiridos pelo site http://www.sescsp.org.br/loja  ou nas unidades do Sesc São Paulo. Os preços dos ingressos do Sesc Pompeia variam de R$ 16,00 a R$ 3,20. E, no Sesc Osasco, de R$ 12,00 a R$ 2,40.

O lançamento faz parte das comemorações dos 10 anos do Selo Sesc, que neste período divulga o que há de melhor na música brasileira, ao mesmo tempo em que produz um precioso acervo musical. Neste ano o Selo Sesc, por exemplo, irá lançar CDs e DVDs de alguns dos mais importantes músicos nacionais. Em março Tetê Espíndola ganhou um álbum duplo, e já estão programados um DVD de Caíto Marcondes e Eva Gomyde, gravado ao vivo no Lincoln Center em Nova York, e CDs de Marlui Miranda, um disco de inéditas da cantora caboverdeana Cesária Évora, morta em 2011, e de um encontro entre o pianista brasileiro Marcelo Guelfi e o bandoneonista argentino Rodolfo Mederos.

Nos últimos três anos Renato esteve em turnê com Prince e a banda The New Power Generation, especialmente pelos Estados Unidos. Plugins Amazônicos nasceu da motivação dele em olhar seu próprio país, seus ritmos e sons. É o resultado musical de uma extensa pesquisa do músico sobre povos indígenas e animais do norte e nordeste do Brasil, especialmente uma imersão que incluiu 270 espécies de pássaros da Amazônia. “Este trabalho é uma homenagem aos índios. Fui à raiz da música indígena. Não coloquei no CD as músicas deles, mas sim composições originais nas quais usei a base, a influência indígena, como na parte das percussões, por exemplo”, relata o músico.

O projeto buscou reunir ritmos de tribos da Amazônia com melodias de outras regiões do Brasil, trazendo a cultura indígena para perto da modernização atual. São 14 composições de Renato, apresentadas com a seguinte formação: piano acústico, teclados, percussão, baixo acústico e elétrico, violoncelo, viola, dois violinos, baixo, clarinete e sax soprano. “Com este lançamento, o Selo Sesc reafirma seu compromisso de estimular artistas capazes de dialogar, a partir de sua própria perspectiva de criação, com as inúmeras tradições musicais contemporâneas, estabelecendo novos caminhos para o universo musical”, afirma o diretor regional do Sesc São Paulo, Danilo Santos de Miranda.

Renato Neto - Tecladista, produtor e arranjador, Renato Neto nasceu em uma família amante da música e ouviu desde a infância estrelas da MPB. O interesse pela música e pelo piano era partilhado por Renato e seus dois irmãos. Aos 15 anos Renato já era um músico quase profissional, tocando em casas noturnas de São Bernardo do Campo, depois no Rio de Janeiro com Biafra, Sandra Sá, Roberto Carlos, Kid Abelha e Tim Maia.

Em 1991 o músico foi para os Estados Unidos, vivendo um ano na Califórnia. Lá formou uma banda, Straight Jacket, com a qual visitou países da Europa e da América do Sul. Iniciou sua carreira fonográfica com um disco ao vivo feito em uma casa chamada La Ve Lee Club. Em 2000, Renato e seu parceiro Tal Bergman (baterista) montaram um estúdio de gravação, pelo qual passaram inúmeras estrelas da música. Ainda foi responsável pela composição da trilha dos filmes "Dancing At The Blue Iguana", dirigido por Michael Redford, e "Kill Me Later", dirigido por Dana Lustig.

Comentários