A responsabilidade é toda nossa


Caro leitor, 

Tomei a liberdade de usar esta imagem que tirei do perfil do humorista Marcos Aguena, o Japa, porque acredito que, muitas vezes, uma imagem vale mais que mil palavras, muito embora este seja um blog que fale de rádio. Isto posto, vamos ao que interessa


Muito já se falou pela internet afora sobre o papel do rádio na cobertura dessas manifestações dos últimos dias pelo país afora. Houve até quem se preocupasse com uma certa censura que poderia estar ocorrendo em algumas emissoras noticiosas durante a transmissão desses eventos. Particularmente, eu não tenho medo, nem temo que isso aconteça. Afinal os jornalistas e radialistas que trabalham nessas emissoras são gente como a gente, iguaizinhos à aqueles jovens que estão na rua protestando. Com certeza, serão uns dos últimos a perder a sua capacidade de se indignar para obedecer ordens escusas de quem quer que seja.

Gostaria de falar sobre a importuna transmissão da amaldiçoada "Voz do Brasil', justo no momento em que a população precisava saber o que estava acontecendo. Mas isso outros sites já o fizeram melhor do que este pobre e solitário escriba poderia fazer, justiça seja feita.

De uma forma ou de outra, boa parte das emissoras sérias deste país colocaram as manifestações populares na pauta do dia. É o caso do "Esporte em Discussão", da Jovem Pan AM, que ouço nesse momento. Até as rádios do governo não se furtaram de retratar aos fatos, ainda que os comentassem timidamente, como aconteceu em vários programas da Rádio Nacional do Rio do Janeiro, principal emissora do sistema estatal de rádio do governo federal, a EBC.

O mais importante é que estamos um momento único e raro na história do país, uma vez que não tínhamos internet na época do "Impeachment" de Collor, em 1992, nem votávamos para presidente, como na era das "Diretas-Já" (1984). Se o Brasil melhorou - e muito - em muitos setores da vida nacional nestes quase 30 anos pós-redemocratização as glórias é única e exclusivamente nossa, o povo; se muitas coisas deram erradas e ainda não funcionam como deveria, a responsabilidade também é minha, sua, de todos nós, afinal, que acreditamos nas promessas de maus políticos que governam os municípios, os estados, o país.

 Está na hora do brasileiro não apenas chegar nas eleições de 2014, cumprir seu dever de votar e depois esquecer até em quem votou. Lembre-se você é responsável por quem você coloca para governar e criar as leis para sua cidade, o seu estado, o seu país. Portanto, é você que tem que fiscalizar o parlamentar ou o governante que escolheu. Sem a sua fiscalização, eles vão fazer apenas o que lhes for conveniente, não o que você precise que eles façam para você. "Todo poder emana do povo e em seu nome - somente em seu nome - ele será exercido", como bem ensinou o saudoso jurista Sobral Pinto.

Que ninguém se esqueça esses cívicos dias, em que o povo acordou e foi pra rua protestar, quando voltarmos a nos encontrar com as urnas em 2014!!!

P.S.: Se você o caro leitor a alguma manifestação, vá em paz com o intuito de protestar e mostrar a sua indignação com seja lá o que for. Não aceite que facções políticas se infiltrem para tirar proveito da situação pois a manifestação é do povo; tampouco que os baderneiros e vândalos de sempre provoquem tumulto e quebra-quebra de aparelhos públicos pagos com o dinheiro suado dos nossos impostos. Só com organização, serenidade e inteligência é que mudaremos este país para melhor. Lembre-se a responsabilidade é minha, é sua, é nossa.

Comentários