sexta-feira, 2 de maio de 2008

Atlético-PR x rádios: fim da novela (ao menos, por enquanto)

por Edu Cesar
do site Papo de Bola


Novidade importante, enviada pelo Sidnei Campos, sobre o que eu denominaria "Furacãogate" (...): anteontem, a juíza de direito Nilce Regina Lima, da 5a. Vara Cível de Curitiba, determinou que as emissoras de rádio de todo o Brasil estão liberadas para transmitir os jogos do Atlético Paranaense, seja na Arena da Baixada ou em outros estádios. Se o clube colocar qualquer obstáculo para impedir as transmissões, pagará uma multa da ordem de R$ 150.000,00 por emissora obstruída, dez vezes mais do que pretendia por jogo. O Sidnei destaca que, segundo Cézar Telles, presidente da AERP (Associação das Emissoras de Radiodifusão do Paraná) - que participou juntamente com a ABERT da ação -, mesmo que o Atlético venha a recorrer da sentença, o recurso pode ser concluído de 3 a 10 anos. E ele encerra afirmando que restou ao rubro-negro a herança de uma medida "altamente antipática", que fará as rádios de Curitiba a darem preferência a Coritiba e Paraná quando suas partidas coincidirem de horário. Para quem quiser ver a decisão da juíza, só clicar nas seis partes do documento: parte 1; parte 2; parte 3; parte 4; parte 5; e parte 6.

5 comentários:

Anônimo disse...

Como faço para entrar em contato com o pessoal do blog rádio base.
Abração.
Ricardo Leite.
Apresentador.
email - pararicardoleite@globo.com

Marcos Lauro disse...

Tem os nossos e-mails no canto superior direito... manda lá.

Alessandro disse...

Ricardo Leite é aquele que se apresentava no horário das 4h as 6h e saiu da rádio Globo "misteriosamente", uma entrevista com ele seria muito bom, para desvendar o que houve.
Patrocinadores insatisfeitos, Padre Marcelo, brigas nos bastidores. Pelo o que li na época, coisas aconteceram...

Marco Ribeiro disse...

Ainda ontem, no programa Bola na Rede, da Rede Tv de São Paulo, o nosso mestre Jorge Kajuru citou esse caso da cobrança pelas transmissões dos jogos do Atlético Paranaense. " O rádio já é um veículo que não tem muito faturamento. Quem já teve ou trabalhou em rádio como eu, sabe que as dificuldades financeiras de uma pequena emissora são enormes. Mal dá pra manter as contas em dia. O que dirá ficar pagando para transmitir?", disse ele.

Eu diria mais: pela visibilidade que as rádios - grandes e pequenas - dão aos clubes, eles é que deveriam pagar para terem os jogos transmitidos. Afinal, quer mídia mais imediata e de maior penetração do que o rádio?

Marcos Ribeiro disse...

Olá, Ricardo, você pode escrever para marcosribeiro777@hotmail.com, ok?