O "cantador" Luiz Vieira fala de fé e emoção no programa Ensaio

O músico está no foco do programa da TV Cultura do próximo domingo, 23 de agosto, às 21h (Jair Magri/TV Cultura)
Poeta, cantador e mestre da música popular, o pernambucano de Caruaru Luiz Vieira é o convidado do Ensaio, que vai ao ar no próximo domingo, dia 23, às 21h. 



Luiz Vieira tem uma vasta história de vida artística, que ele relata durante o programa. Mas, antes de se tornar músico, fez alguns trabalhos diferenciados, como ser guia de cego.
“Fui guia de cego de apontar, aquela que aponta para quem dá a boa esmola... Fui guia de um cego paraibano e ia almoçar todos os dias no Hotel Glória (RJ). É que o filho dele era chefe de cozinha do hotel”.

Com sua herança cultural nordestina, Vieira conta como são algumas festas folclóricas e tradições regionais, como a Festa de Reis e os “benditos”, que são canções para chamar chuva em época de seca. Para explicar, ele entoa uma “bendita”. O cantor fala sobre seu grande sucesso, Menino de Braçanã, e como foi compor a primeira música para Pery Ribeiro, Inteirinha, a pedido da mãe, Dalva de Oliveira. “Tenho uma grande saudade dele. Hoje, estou vivendo cheio de saudades pela minha idade”, diz. 

Luiz Vieira revela que sua maior emoção na vida foi sentida em 1953, durante o programa que fazia na TV Record. “Quando eu cantei, dez mil pessoas cantaram ô ô ô ô ô juntas... Quase desmaiei. Muito mais importante que qualquer cachê é a resposta cantada do público”. A fé é aliada na vida do músico, que foi batizado por um Monsenhor. “A fé é a maior força invisível que uma pessoa pode ter. Quando tenho um grande problema, digo para o grande problema que eu tenho um grande Deus”.

Com a clássica canção "Menino Passarinho", de sua autoria, e acompanhado por Reynaldo Rayol ao violão, Luiz Vieira se despede do programa. 

O programa da TV Cultura é apresentado por Fernando Faro. 

Comentários