quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

José Nello Marques estreia na Radio Record

Amigas e amigos da Rádio Base,


Gostaria de comunicar que estréio no dia 2 de março (próxima segunda feira) no comando do programa que leva meu nome, na Rádio Record, 1000 khz AM, das 16 às 18 horas, de segunda a sexta feira.


José Nello Marques
(www.zenello.com.br)



----------------------------
Parece que a Record está levando a sério mesmo esta história de investir na rádio. Taí mais uma prova. Boa sorte, Zé!

3 comentários:

  1. Bom, o que deixam claro é que querem investir em todas as mídias possíveis, ainda que tenham como carro-chefe a TV. Se fizerem pela rádio pelo menos um pouquinho do que fazem na TV, já é grande coisa.
    Apesar que eu particularmente acho que nesse momento, deveriam fazer mais uma tentativa em FM, tal como o fracassado projeto Emoção FM, emissora que pude até visitar e nada mais era do que o casarão do Sistema Metropolitana de Rádio. Record FM - quem sabe qualquer dia desses? rs rs

    Edmauro

    ResponderExcluir
  2. Mas ainda acho um desperdício a Record possuir emissoras próprias em algumas importantes cidades do Brasil, como Rio de Janeiro e Porto Alegre, e simplesmente não ter uma rede de rádio. Especialmente no AM, onde o nome Record ainda representa muito.
    Espero que façam um bom trabalho nessas rádios. Ainda que não seja lá uma maravilha, imagino que cidades como as já citadas agradecerão ouvir uma rádio paulista a ouvir pregações sem fim, como atualmente ocorre nessas localidades.
    Alessandro Pereira

    ResponderExcluir
  3. Caro, Alessandro, as emissoras precisam rever este conceito de rede. Creio que em alguns casos seja mais interessantes manter algumas emissoras em várias cidades diferentes, cada qual com uma programação própria e pegando apenas alguns programas em rede. Mas vai de caso a caso. O que eu sei é que não dá para fazer rede de rádio como se faz de TV. O rádio é um veículo local> há quem diga que, se for uma rádio com programação segmentada em música, talvez seja possível> Mas temos de pensar no risco de uma emissora do RIo ou São Paulo comandar o que o país todo vai ouvir. É fascinante e assustador ao mesmo tempo.

    Marco Ribeiro

    ResponderExcluir