O Rádio está virando um grande "talk show". Mas será que alguém ouve?

Petria Chaves, Leopoldo Rosa e Júlia Arraes são os apresentadores do novo "talk show" da CBN. Será que vai dar certo como dizem que deu na internet? Só o tempo dirá... (Foto: Divulgação)

Não se sabe exatamente quem ou como começou este tipo de programa. Desconfio de que seja mais antigo do que se supõe. Só não tinha esse nome pomposo em inglês. As variações de temas e formas de apresentá-los são enormes. É muito mais fácil de se produzir do que um jornal de rádio, uma reportagem na rua, uma radionovela, ou até mesmo um programa musical com algum conteúdo. 

Mas o mais importante de tudo que é mais simples de fazê-lo em termos operacionais - uma vez que ele é gravado ou transmitido ao vivo do estúdio da emissora, com um os dois links de áudio externos para outros participantes - e , claro, mais baratos para as emissoras, que cada vez faturam menos com a publicidade convencional e, portanto, têm menos recursos para bancar uma equipe de reportagem ou de produção, conforme o formato da emissora.

Muitas emissoras de rádio em São Paulo, sejam jornalísticas ou musicais, em alguma hora do dia vão transmitir o seu "talk show". Isso se não o fizerem ao longo do dia. Quando o conteúdo aborda os "hard news" (principais assuntos do dia) pode chamá-los de "talk and news", que na verdade é como se chamam emissoras como a Rádio Gaúcha de Porto Alegre, pioneira neste formato.

Não é muito difícil identificar um talk show. Um apresentador, dois ou três participantes comentam as principais notícias do dia, ou as últimas do esporte, ou as notícias que mais chamam a atenção na 
internet. De quando em vez, um convidado - pode ser um ator que esteja em cartaz com sua peça ou filme na cidade, um cantor que esteja lançando seu novo "álbum", uma celebridade qualquer divulgando seu novo canal de vídeos em uma rede social, ou um profissional de medicina, saúde, engenharia, direito, tecnologia, analisando um acontecimento importante da hora que passa - participa, dando o ar da sua graça no estúdio onde se passa o programa. Se for "via fone", a participação tem de ter um tempo limitado. Afinal, a conta do telefone fixo não pode ricar tão cara assim, correto? 

Todavia, uma pergunta é importante: dá audiência? De um modo geral, sim. Mas vai depender muito do tipo do programa, dos assuntos abordados, da linha de programação da emissora, dos radialistas que dele participam, do horário, da sua empatia e do envolvimento que os ouvintes têm com a atração. Este último quesito é importante. Quanto mais interativo, melhor. Afinal, é a audiência que vai funcionar como principal chamariz de novos radioespctadores para a atração nas redes sociais. 

O único problema é que o mercado está tão saturado desse tipo de programa que é preciso um programa novato - como o Café Expresso, que retratamos abaixo, por exemplo - faça realmente algo de inovador para ao menos chamar a atenção. Se não, vai ser apenas mais um "talk show" na vasta floresta radiofônica. E ser apenas mais um não atrai anunciantes. E não atraindo anunciantes - a menos que a emissora seja educativa (e viva do erário) ou bancada por algum "mecenas errante", que tire do bolso para fazê-lo - o programa logo logo sairá do ar, mesmo que alegue ter "milhões de pessoas ouvindo" e que o já acompanhavam nas redes sociais anteriormente.

*******************************
Sucesso nas redes sociais, 'Café Expresso' estreia na CBN

Do Portal Comunique-se

Em fevereiro, o programa ‘Café Expresso’, primeira atração da rádio CBN concebida exclusivamente para o Facebook, ganhará espaço fixo na grade da emissora no dial. A novidade foi anunciada nesta semana e a primeira transmissão oficial será realizada neste sábado, 4.

Após 20 programas exibidos pelo Facebook Live, o bate-papo de Petria Chaves, Leopoldo Rosa e Júlia Arraes vai continuar recebendo convidados, agora aos sábados às 20h30, com reprise aos domingos, às onze e meia. De acordo com a produção da CBN, temas variados do universo jovem, destaques da internet e o que está repercutindo no Brasil são assunto durante os encontros do trio.

Para a repórter Julia, a interatividade com o público é muito importante nas transmissões do programa. “Com a ida para o rádio, a gente espera receber ainda mais mensagens dos ouvintes na nossa conversa, é a grande alma do programa”, afirma.

Petria, que também atua como âncora do ‘Revista CBN’, ressalta que, depois de cinco meses 
apresentando a atração por meio das redes sociais, foi possível amadurecer o formato do programa. “A gente sentiu o pulso do público, testou a nossa química e os convidados. É um café descontraído, mas um bom papo de qualidade”.

Chefe de Reportagem na CBN em São Paulo, Rosa quer levar sua experiência com o hard news para os papos que vão ao ar pelo ‘Café Expresso’. “É importante contextualizar as conversas com o que está acontecendo no mundo, sem perder a credibilidade e a marca da CBN”, afirma o terceiro componente da trinca de apresentadores.

Os responsáveis pela grade da emissora aproveitaram o anuncio da novidade para informar que o ‘Café Expresso’ ganha espaço no rádio, sem abandonar os internautas que acompanham a atração por meio do Facebook Live, por onde o programa continuará sendo exibido.

++++++++++++++++++++++++++++++
O que é um Talk Show?

Do Wikipedia

Talk show é um gênero de programa televisivo ou radialístico, em que uma pessoa ou um grupo de pessoas se junta e discute vários tópicos que são sugeridos e moderados por um ou mais apresentadores.

Joe Franklin, o primeiro radialista e apresentador americano, a apresentar um talk show. Seu programa começou em 1951 na antiga "WABC-TV".

Normalmente os convidados são pessoas que têm experiência em relação ao assunto que está sendo tratado no programa. Outras vezes um único convidado responde às perguntas do apresentador e/ou da plateia.

Muitos apresentadores só se tornaram famosos por causa dos seus programas, mas também há o processo inverso, quando uma personalidade famosa decide ter seu próprio programa.

Habitualmente, um talk show é uma espécie de rubrica de informação, uma forma de "conversação conversada" em oposição à "conversação textual". Existe um público, na maioria das vezes, que observa tudo e tem direito de manifestação. São usadas técnicas de descontração e informalidade.

Um jornalista realiza entrevistas coletivas e públicas em torno de um tema ou convidado. Caracteriza o talk show o sistema de perguntas e respostas, com uma mediação. Neste modelo, tanto a imprensa quanto o público podem perguntar. Opõe-se a palestra, seminário, debate, congresso e outros. 

Exemplos de talk shows brasileiros são The Noite, no SBT, Programa do Jô, na Rede Globo, Roberto Justus +, na Rede Record, Luciana by Night, na Rede TV! e os finados Talk Show com Otávio Mesquita, na Rede Record e Agora é Tarde, na Rede Bandeirantes.

Esse formato de programas teve origem nos Estados Unidos, que tem muitos programas do gênero em sua grade televisiva, como The Phil Donahue Show, The Jerry Springer Show, The Oprah Winfrey Show e The Tonight Show with Jay Leno.

Comentários

celso-freitas disse…
Bom texto, Marco. Sugiro uma legenda para a foto, para a gente saber quem é quem. O Leopoldo, mesmo com a barba, eu identifico, já que foi meu aluno em Radiojornalismo. Parabéns ao trio, pela iniciativa. Sucesso a vocês.
Muito obrigado, professor Celso Antonio de Freitas, pelos elogios e observações sempre tão precisas. Não sei por qual meio o senhor acessa o nosso blog, mas se o estiver lendo em um computador de mesa ou notebook, basta apenas colocar o cursor em cima da imagem que a legenda da foto aparecerá, creio em qualquer navegador que se use: Chrome, Internet Explorer, Safari, Opera, Firefox, Avast, etc, ok?

Muito obrigado pela sua missiva e continua na nossa "sintonia".
P.S.: De qualquer forma, estou estudando um forma de colocar uma legenda abaixo das fotos, sem que isso cause confusão na hora de se compartilhar o link em outras redes sociais.