Peça com direção de Marcelo Médici está no projeto "Eu Faço Cultura"

Os beneficiários que podem efetuar os resgates são usuários de programas sociais do governo (Foto: Divulgação)
O Eu Faço Cultura é uma plataforma digital que disponibiliza produtos culturais para populações de baixa renda.
Os beneficiários que podem efetuar os resgates são usuários de programas sociais do governo (ex: Bolsa Família), alunos de escolas públicas por meio dos cadastros de diretores, ONGs, microempreendedores individuais e população de baixa renda, que normalmente não têm acesso à cultura. 

No projeto, os ingressos/produtos são comprados do produtor cultural e são oferecidos aos consumidores finais com subsídio total do Ministério da Cultura pela Lei Rouanet.

No site estão disponíveis entradas gratuitas para vários espetáculos em cartaz em São Paulo, são 16 peças teatrais como o espetáculo com direção do autor e ator Marcelo Médici.


A Noviça Mais Rebelde
Teatro Renaissance – Al. Santos, 2.233 – Jardim Paulista
Sábados e domingos, às 18h. Até 27 de março
Direção: Marcelo Médici. Elenco: Wilson de Santo


A irmã Maria José convence a madre superiora a deixá-la fazer um show beneficente. Porém, no dia da apresentação, algo inesperado acontece. A freira precisa improvisar para entreter o público e, então, realiza uma série de jogos interativos e números musicais.

Para conferir a galeria com todos os espetáculos, acesse o site www.eufacocultura.com.br.

Atulamente, o Eu Faço Cultura contempla espetáculos nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Nova Friburgo, Goiânia e Distrito Federal. Serão incluídas novas cidades em breve, além de outras áreas culturais como cinema e livros.

No projeto, os ingressos/produtos são comprados do produtor cultural pelo projeto Eu Faço Cultura e são oferecidos aos consumidores finais com subsídio total do Ministério da Cultura pela Lei Rouanet. Os beneficiários que podem efetuar os resgates são usuários de programas sociais do governo (ex: Bolsa Família), alunos de escolas públicas por meio dos cadastros de diretores, ONGs, microempreendedores individuais e população de baixa renda, que normalmente não têm acesso à cultura.

Por meio do site, os interessados nos produtos culturais poderão solicitar vouchers (impressos ou mobile) que deverão ser trocados na bilheteria do local do espetáculo ou em pontos de troca ou venda. Os produtores que buscam vender ingressos e garantir público para seus projetos artísticos também podem se cadastrar na plataforma.

Comentários