Reveja Marcelo Madureira no programa Pânico, da Jovem Pan

"A sociedade brasileira ou vive no país do Sérgio Mouro ou no país do Lula da Silva, e isso não está decidido ainda. É trabalho, é sacrifício, é luta. Não existe almoço grátis”, diz Marcelo Madureira.
Reveja algumas das melhores entrevistas do programa Pânico, da Rádio Jovem Pan: nesta edição, uma entrevista com o humorista Marcelo Madureira.

Do Portal Jovem Pan - Impossível pensar em humor e não lembrar de programas clássicos como foi o “Casseta & Planeta”, na Rede Globo. Um dos integrantes do elenco, Marcelo Madureira começou a carreira trabalhando em um banco e fazendo piadas entre os amigos, até que a coisa deu certo e virou profissão.

“Eu gostava do que eu fazia, não era um cara infeliz, mas a Globo chegou me pagando 4x o que eu ganhava, aí não dava. Eu nunca, na minha vida, pensei que fosse viver de babaquice”, brincou, em entrevista ao Pânico, na edição do dia 16 de dezembro.

Sem fugir de polêmicas, ele comentou sobre o novo momento que vive o setor humorístico no Brasil, em meio a shows de stand up e sucesso dos YouTubers.

“O bom de qualquer coisa no mundo é a diversidade, então cada um tem um estilo. Acho que tudo tem a sua hora e a sua vez. Hoje quem que não quer estudar faz stand up, tem cara bom e tem cara ruim. Tem muito marketing, falta um fundo ideológico. O que eu observo na nova geração é que eles fazem o ‘fecho’ da piada muito em cima do palavrão e, eu não sou contra, mas você tem que saber usar na hora certa. A própria Kéfera, o Felipe Neto”, criticou.

Também com um posicionamento político muito claro, o humorista considera importante que todos defendam suas percepções: “Desde os três anos eu faço política, sou um humorista jornalista. As pessoas tem medo de se posicionar e perder público, de enfrentar. É direito de todo cidadão se manifestar publicamente, mas não cabe ao artista dar consciência para os outros, mas tentar empurrar a sociedade para frente, a gente bota o dedo na ferida, as pessoas é que têm que julgar”.

E ainda aproveitou para alfinetar o que ele chamou de “politicamente correto”: “Nós temos bom senso, mas para rir, alguém tem que ser zuado. O humorista só quer ser engraçado, ele não quer humilhar ninguém, somos pessoas do bem”.

Projetos futuros - Em parceria com Hubert Aranha, ele acaba de lançar o livro “Rouba Brasil”, que conta com uma coletânea de crônicas de Agamenon Mendes Pedreira.

“No livro é um personagem nosso que durante 25 anos publicamos em uma coluna de ‘O Globo’. Nós resolvemos fazer um livro com os escândalos no Brasil, é um livro de humor, fizemos uma compilação dos artigos que publicamos. Aonde tem um tostão de dinheiro público, tem treta. A sociedade brasileira ou vive no país do Sérgio Mouro ou no país do Lula da Silva, e isso não está decidido ainda. É trabalho, é sacrifício, é luta. Não existe almoço grátis”, considerou.

Além disso, o humorista ainda planeja um seriado com os antigos colegas do “Casseta & Planeta”, para ser lançado no Multishow já em 2016, em que eles fariam sátiras dos possíveis motivos pelo fim do programa que aconteceu há cinco anos.

Comentários