Evento sobre circo discute qualificação e capacitação no setor

Com a presença de representantes da OAB, Sebrae e ABNT, o evento será nos dias 30 de novembro e 1 de Dezembro, em São Paulo. (Marlene Braga / Divulgação)

As atividades do II Seminário Nacional de Circo Itinerante, organizado pela UBCI- União Brasileira de Circos Itinerantes, começam na segunda feira, 30 de novembro, dia tradicional de folga dos circenses. 


A abertura oficial acontece no Centro de Memória do Circo – Espaço Artes Circenses, com Marlene Querubin, presidente da UBCI, falando sobre a importância desse encontro e homenageando Orlando Orfei “In Memorium”, por seu grande legado ao universo circense.  

Na sequência, a apresentação da “Palestra Animada”, com o espetáculo “Um palhaço contra a máfia”, que traz no elenco diversos artistas renomados do circo tradicional e contemporâneo. No segundo dia a programação do Seminário se divide em dois endereços. No Centro de Memória do Circo, os proprietários de circo poderão ter contato com representantes do SEBRAE, ABNT e OAB, tirar dúvidas sobre formalização e gestão financeira e discutir normas técnicas. Já no Circo Spacial, artistas e montadores interessados poderão fazer o curso de NR35 e Brigadista gratuitamente, com inscrição antecipada.

Com o objetivo de discutir o cenário atual e propor soluções para enfrentar as dificuldades, tanto na circulação e produção de espetáculos, quanto na área de incentivos e captação de recursos, foi criado em 2014 este Seminário. Os gestores de Circos veem nesta oportunidade transpor as dificuldades que da distância, pois normalmente cumprem temporada qual em uma região brasileira, assim a UBCI idealizou este Encontro para proporcionar a aproximação dos gestores do setor e o diálogo com os diversos setores envolvidos.

Hoje a atividade circense movimenta cerca de 2 mil circos, além de grupos, artistas , técnicos e Escolas de Circo. Assim totalizamos mais de 25 mil profissionais da área envolvidos na cadeia produtiva, apresentando 10 mil espetáculos circenses para um público de quase dois milhões de expectadores.  Os números do universo circense são expressivos e a geração de renda que ele movimenta não pode ser desprezada. Quando chega às cidades, o RH do circo absorve além de seu elenco fico muitos profissionais locais, além de levar uma atividade cultural milenar.  Gerador de fluxo turístico, o Circo também deixa no comércio local a maior parte da renda gerada na cidade. 

A simples chegada de um circo itinerante numa cidade movimenta economia, alegra a população, forma público, gera trabalho e renda.

Mais informações: seminario.ubci@gmail.com

Comentários