Chico César fala de sua afinidade com a natureza no Repórter Eco

A tecnologia como ferramenta colaborativa para o conhecimento e o resgate de ervas usadas pelos avós também ganham destaque na próxima edição do programa da TV Cultura. Vai ao ar no domingo, dia 6 de setembro, às 17h30 (Foto:Jair Magri/TV Cultura)

Cantor, compositor e aliado do meio ambiente, o músico Chico César estampa um perfil ecológico. Seu novo CD, Estado de Poesia, também reflete seu modo de viver. Uma entrevista com o artista em sua casa, no bairro do Sumaré, em São Paulo, revela de onde vem sua ligação com a natureza.
O bate-papo e também um pouco de sua música estão no Repórter Eco do próximo domingo, dia 6 de setembro. O programa da TV Cultura vai ao ar às 17h30.

No início da conversa, ao lado de seu gato, Chico fala de sua origem para explicar seu respeito pelo meio ambiente. “Eu venho da zona rural. Nasci numa cidade muito pequena que se chama Catolé do Rocha, no interior da Paraíba. É zona de caatinga, de seca, peguei grandes secas. Então, a relação do homem do campo, do homem que descende dos índios, dos negros, é uma relação muito próxima, muito irmã, muito fraterna com a natureza e principalmente com a água”.

Com o tema amor em seu CD, o artista explora dois lados desse sentimento, um deles é o de pessoa para pessoa. O outro, segundo Chico, é “um amor mais social, um amor que deseja uma vida boa para todo mundo. Uma vida com menos, mas com mais profundidade".

Também o respeito pelo trabalho manual das pessoas é outro aspecto que leva o músico a construir uma ponte com a natureza. “Respeitar quem trabalha com as mãos... o homem do campo, o marceneiro, o operário, e trazer isso para nós. Porque ao trabalharmos mais com as mãos, nós vamos voltar mais para a natureza". Entremeando a entrevista, Chico César canta e mostra de onde vem sua inspiração.

Outra matéria desta edição aborda as vantagens para a saúde de se consumir alimentos naturais, não processados pela indústria. A cientista e pesquisadora de alimentação Conceição Trucon propõe o resgate de plantas e hortaliças que eram cultivadas nos quintais pelos nossos avós. “São alimentos funcionais, superalimentos”, explica.

A economia colaborativa vem ganhando espaço entre os jovens que nasceram com a tecnologia digital, e a reportagem conversou com Camila Haddad, criadora da plataforma cinese. Trata-se do site www.cinese.me  que se mantém com financiamento coletivo. Já são 12 mil usuários que participaram de 1500 encontros.

Comentários